Crescimento econômico ainda é incerto

Por Marcel Augusto Caparoz, da RC Consultores 

O Banco Central divulgou hoje pela manhã oc de Abril (índice de atividade), com aumento de 0,84% na comparação mensal, surpreendendo parte do mercado, que esperava alta de apenas 0,6%. Os incrementos da indústria de transformação e do varejo em abril contribuíram para a manutenção do ritmo de crescimento da atividade no país, que acumulou alta nos últimos 12 meses de 1,66%.

Os avanços registrados pela indústria e pelo varejo entre março e abril foram fortemente influenciados pelos incentivos dados ao setor automotivo e aos investimentos. Tais estímulos, como desoneração do IPI para automóveis e redução dos juros para aquisição de caminhões e de máquina e equipamentos podem dar fôlego no curto prazo, mas não são capazes de sustentar uma trajetória positiva para a economia no médio prazo. A recente desvalorização cambial pode favorecer a indústria nacional em 2013, porém a consequente alta dos custos dos investimentos será mais um entrave a tão necessária melhora na eficiência produtiva, que já enfrenta graves problemas nas áreas de infraestrutura, tributária, trabalhista dentre outras no Brasil.

Ed.206

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…