Dividendos das Estatais este ano podem frustrar expectativa do governo

José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O Tesouro Nacional vê ameaçada a estratégia de usar dividendos das empresas estatais para alcançar a meta de superávit primário de 3,1% do PIB. A luz amarela decorre do resultado negativo da Petrobras, no segundo trimestre, em R$ 1,3 bilhão. Apesar do declínio de arrecadação em função do arrefecimento econômico, o governo ainda projeta receber R$ 26,5 bilhões em dividendos este ano.

O governo tem usado muito o resultado, não só da Petrobras, como de outras estatais, como o BNDES, para fechar a conta de superávit fiscal. Depois de um salto que dobrou o recebimento de dividendos pelo governo em 2009 para R$ 26,7 bilhões, esses recebimentos começam a declinar para R$ 22,4 bilhões em 2010 e R$ 20,0 bilhões no ano passado. A atividade econômica mais fraca repercutirá no resultado de todas as estatais, inclusive do BNDES. A meta de superávit não está fácil de ser cumprida. O gasto corrente ocupa o lugar da economia de juros no orçamento deste ano, impedindo o avanço dos investimentos públicos. Na próxima semana, haverá mais um anúncio midiático, o lançamento do PAC da Infraestrutura. O governo terá imensa dificuldade de explicar a origem dos recursos para sua execução.

Ed.02

Comentários

comentários

Posts relacionados

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…

Vendas no varejo crescem 0,5% em setembro e caem 0,6% no acumulado 12 meses

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE, o volume de vendas no Varejo restrito subiu 0,5% em setembro na comparação mensal (com ajuste sazonal), enquanto na variação acumulada em 12 meses, a trajetória do indicador apresentou melhora de 1 p.p. em relação ao mês anterior, apresentando retração de apenas 0,6%….