França anuncia forte plano de austeridade para 2013

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

O primeiro ministro François Hollande anunciou aos franceses um ano difícil em 2013: entre aumento de impostos (20 bilhões de euros) e cortes em despesas públicas (10 bilhões de euros), o governo pretende economizar 30 bilhões, trazendo o déficit fiscal para a meta de 3% do PIB. Em 2011, o déficit atingiu 5,2% do PIB. Este ano, embora a projeção oficial seja de 4,5%, esta não deve ser atingida com facilidade. A meta de 3% para o próximo ano é mais complicada, devido ao fato de se estar projetando mais um ano recessivo para a economia francesa, inclusive em função do aperto fiscal anunciado.

A crise chega ao território francês e ao bolso dos ricos. Estes terão que pagar até 75% de alíquota marginal de imposto de renda, o que tem um péssimo efeito de anúncio sobre o humor dos investidores de modo generalizado. A França repete a experiência socialista de outro François, o Mitterrand, que também sobretaxou a riqueza nos anos 80, com efeitos negativos imprevistos sobre as decisões de investimentos no país. A notícia do pacote fiscal francês é prenúncio de um cenário recessivo não só na França como em toda a Europa em 2013. Com isso, a repercussão inevitável é que diminuirão as chances de uma recuperação expressiva do comércio mundial, atrapalhando a retomada no Brasil.

Ed.25

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…