Inflação de 2014 inspira atenção

Por Marcel Caparoz / Everton Carneiro, da RC Consultores

O IPCA, índice oficial de inflação, apresentou variação de 0,55% no primeiro mês de 2014, a menor alta para o mês de janeiro desde 2009. Trata-se de uma considerável desaceleração frente a Dezembro de 2013, quando o índice avançou 0,92%. É a primeira vez desde 2007/2008 em que há desaceleração entre dezembro e janeiro. Com isso, o acumulado em 12 meses registra avanço de 5,59%, o menor valor desde Novembro de 2012. O grupo Alimentação e bebidas, que responde por quase um quarto do índice, apresentou a nona queda consecutiva no acumulado em 12 meses, registrando avanço de 7,25% em janeiro, após atingir 14% em Abril de 2013.

Apesar da melhora geral do índice, algumas contas inspiram maior atenção. Habitação, outro grupo de forte impacto no IPCA, encerrou o ano de 2013 com alta de apenas 3,41%, influenciado pelo corte no preço de energia elétrica no início do ano passado. Nos últimos 11 meses o grupo registra alta mensal acima de 0,5%, e se mantido esse padrão no próximo mês, levará o acumulado em 12 meses para um patamar acima dos 7%. Estes dois grupos, Alimentos e Habitação, têm impacto ainda maior na inflação da baixa renda. Para o índice IPC-C1 da FGV, que registra a inflação das famílias entre 1 e 2,5 salários mínimos, os dois grupos acima respondem por 58% do peso total. A alta superior a 7% desses dois importantes grupos impulsionará a inflação da classe mais baixa da população, deteriorando seu poder de compra. O efeito do atual desarranjo hidroelétrico, com impacto no custo da geração de energia no País, mais a estiagem na safra e outros impactos via preço determinarão uma revisão da inflação de 2014 e vão afetar muito as condições eleitorais.

Ed.360

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…