IPCA de janeiro é o maior desde 2005

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

O IPCA de janeiro, considerado a inflação oficial do país, teve uma variação de 0,86%. Em janeiro de 2012 a variação foi de 0,56%. No acumulado de 12 meses até janeiro, o IPCA avançou 6,12%, contra 5,84% em dezembro, próximo dos 6,5% do teto da meta do governo. Os preços dos alimentos continuam pressionando a inflação. Alguns produtos do grupo alimentação tiveram oferta reduzida em função do clima, ocasionando fortes aumentos de preços. O maior impacto individual veio da alta do preço do cigarro que subiu 10,11% após o aumento no IPI.

Uma boa safra agrícola, redução nas tarifas de energia e a manutenção de um câmbio mais estável podem contribuir para uma desaceleração dos preços. No entanto, os reajustes dos preços das tarifas de transporte urbano, o reajuste dos preços dos combustíveis e a inflação de serviços, que continua em patamar elevado, ainda darão sua contribuição para a elevação do índice. A pergunta que o mercado continuará fazendo é se o atual patamar da taxa de juros corre risco de subir ou não. O governo lutará até o fim para não deixar que a subida da inflação obrigue o BC a rever a atual Selic, mínima histórica, de 7,25%.

Ed.121

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…