Juro europeu na mínima histórica

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores

Como prevíamos na quarta-feira, o Banco Central Europeu (BCE) reduziu ontem a taxa básica de juros em 0,25 ponto percentual, para 0,25%, nova mínima recorde. Com isso, a taxa de depósito ficou em zero e a taxa de empréstimo foi reduzida para 0,75% ante 1%. O risco de deflação e euro mais forte motivaram a atitude do BCE. O presidente do BCE, Mario Draghi, não descartou novo corte: “em princípio, nós podemos até cortar ainda mais a taxa de juros”.

O mercado respondeu rapidamente a essa medida. O euro, que no final de outubro era comercializado a US$ 1,38, fechou ontem a US$ 1,34, um recuo de quase 3%. Uma política monetária expansionista, com o corte de juros, vai ajudar a competitividade das exportações da zona do euro, o que vai auxiliar, sobretudo, os países do sul da Europa. No entanto, apenas essa medida não será suficiente para aumentar as exportações dos países periféricos europeus. A participação da Alemanha é essencial. O país germânico, que até já foi criticado vivamente pelo Departamento do Tesouro norte-americano, continuará sobre pressão devido ao superávit de sua balança comercial. Não seria surpresa se um inquérito especial da Comissão Europeia para Assuntos Econômicos e Monetários fosse aberto contra a Alemanha devido ao seu balanço de transações correntes. Pelas normas da zona do euro, este indicador não deve ir além dos 6% do PIB, mas desde 2007 o balanço de transações correntes da Alemanha tem ultrapassado constantemente esse percentual. Estima-se que em 2014 chegue a 7% do PIB.

Ed.310

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…