Micro e pequenas empresas elevam participação no PIB

Por Marcel Caparoz, da RC Consultores

As micro e pequenas empresas brasileiras ampliaram ainda mais a sua importância na economia do país. Segundo estudo da FGV, cerca de 27% do PIB do Brasil é gerado por estas empresas, um bom avanço quando comparado aos 21% de 1985. Além disso, elas são as principais geradoras de vagas de trabalho, sendo responsáveis em 2013 por um total de 839 mil novos postos, enquanto as médias e grandes empresas fecharam 126 mil postos.

O governo também se beneficia do dinamismo das micro e pequenas empresas. O pagamento de impostos, principalmente via Super Simples, não para de subir. Em 2008 a arrecadação total pelo governo foi de R$ 1,6 bi através deste programa. Em 2013 já tinha saltado para R$ 54,4 bi. No entanto, embora apresente elevado grau de importância para a economia, estes pequenos empreendimentos ainda são muito vulneráveis. Um quarto dos novos negócios não dura mais de 2 anos. Uma política de fortalecimento destas empresas, através de maior acesso ao conhecimento, menos burocracia e principalmente menos impostos ampliaria ainda mais a sua contribuição para a economia do país.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…