Portugal e China voltam a pressionar os mercados

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Desta vez é a crise política em Portugal, cujo governo de Passos Coelho já vinha mostrando sinais de esgotamento na sua base de apoio. Após a renúncia de dois ministros fundamentais, Paulo Portas e Victor Gaspar, a bolsa de Lisboa caía 5% na sessão de hoje, depois de abrir em queda ainda maior. Os títulos de Portugal despencaram com a elevação do juro a mais de 7%, nível mais alto desde 2009. A China também deu sua quota de contribuição para o nervosismo dos investidores no mundo ao proibir jornais locais de divulgarem a situação de falta de liquidez nos bancos do país.

Após a forte queda de ontem, com nova alta do dólar, o mercado no Brasil tem chance de recuar mais. A piora na perspectiva chinesa tem influência mais grave e permanente sobre as empresas brasileiras. O ciclo favorável de commodities chega ao fim dramaticamente, impondo ao País uma urgente revisão de sua política passiva frente ao comércio exterior. As cotações na Bolsa paulista certamente refletirão esse mal estar nas próximas semanas. O câmbio, pressionado, será um espelho da tendência baixista nas bolsas. Para além dos fatores de crise imediata, a preocupação no Brasil será com a desaceleração do ritmo do consumo.

Ed.219

Comentários

comentários

Posts relacionados

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…

Vendas no varejo crescem 0,5% em setembro e caem 0,6% no acumulado 12 meses

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE, o volume de vendas no Varejo restrito subiu 0,5% em setembro na comparação mensal (com ajuste sazonal), enquanto na variação acumulada em 12 meses, a trajetória do indicador apresentou melhora de 1 p.p. em relação ao mês anterior, apresentando retração de apenas 0,6%….