Presidente eleito do México vem ao Brasil e busca colaboração

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Enrique Peña Nieto faz sua primeira viagem como presidente eleito do México e escolheu o Brasil como ponto de partida. Amanhã visitará a Fiesp e estará com Dilma no dia 20. A importância do México como força econômica e peso na balança política regional vem aumentando após a crise financeira de 2008. A economia mexicana mergulhou em 2009, mas se recuperou com vigor em 2010 e vem crescendo mais do que o Brasil desde então. Parte dessa força não vem de exportação de commodities agrícolas, como o Brasil, mas por manter um nível de custo do trabalho mais competitivo do que o brasileiro. Em consequência, o México está superando sua condição de mera “maquiladora” de produtos para o mercado americano. A atividade industrial do país em julho cresceu 4,9% na comparação com o mês de 2011. O setor da construção apresentou expansão de 6,8% no mesmo período.

O presidente Peña Nieto acena com aproximação na área de petróleo e gás onde o Brasil tem tecnologias para trocar com o México. O Brasil também já avançou mais que o México no campo da desestatização; o México ainda tem a energia elétrica e o petróleo exclusivamente nas mãos do Estado. Em compensação, o México está mais avançado em duas áreas críticas: simplicidade tributária (no Brasil, é um manicômio) e encargos sociais menos onerosos. O Banco Central mexicano também tem feito um trabalho digno de nota, ajustando controle de inflação (4,5%) com uma previsão de crescimento na meta de 6% até 2015. A razão investimento/PIB, de 23%, supera de longe a do Brasil.

Ed.31

Comentários

comentários

Posts relacionados

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…

Vendas no varejo crescem 0,5% em setembro e caem 0,6% no acumulado 12 meses

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE, o volume de vendas no Varejo restrito subiu 0,5% em setembro na comparação mensal (com ajuste sazonal), enquanto na variação acumulada em 12 meses, a trajetória do indicador apresentou melhora de 1 p.p. em relação ao mês anterior, apresentando retração de apenas 0,6%….