Reeleito, Obama tem o desafio do “Abismo Fiscal”

Por José Valter Martins de Almeida, da RC Consultores 

Barack Obama foi reeleito para continuar seu projeto por mais quatro anos. A vitória do democrata foi mais ampla do que previam as pesquisas eleitorais. No Congresso, os republicanos devem manter a maioria na Câmara e os democratas permanecerão com a maioria no Senado.

Passado o entusiasmo com a vitória, Obama tem pela frente enormes desafios, a começar pelo abismo fiscal em janeiro. Se não houver um acordo no Congresso até final de dezembro haverá duas opções: aceitar os cortes programados nos gastos, afetando cerca de mil programas de governo, incluindo as áreas de Educação, Saúde e Defesa, ou elevação de impostos. Obama sabe que as próximas semanas serão de intensas negociações com o Congresso para encontrar uma solução que equilibre o elevado déficit, em situação quase insustentável, com o risco de mais uma recessão no próximo ano. O processo das negociações no Congresso americano até o fim do ano vai agitar os mercados globais. De um lado, com as apostas de um fracasso em impedir o mergulho no abismo e, do outro, de um acordo interpartidário que contorne a recessão.

 Ed.65

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…