Saldo comercial registra o pior resultado da série histórica

Por Thiago Custodio Biscuola, da RC Consultores

O saldo comercial do primeiro bimestre registrou déficit de US$ 6,18 bilhões após o mês de fevereiro amargar o pior resultado desde o começo da série histórica, com o resultado negativo de US$ 2,12 bilhões. Enquanto as exportações tiveram queda 3,4% no conceito de média diária sobre o primeiro bimestre de 2013, as importações caíram apenas 1,4%. Impediu pior resultado a antecipação da colheita de soja, que contribuiu com embarques no valor de US$ 1,4 bilhões, um aumento de 158,6% frente aos dois primeiros meses de 2013. Por outro lado, os desembarques de bens de consumo duráveis tiveram incremento de 14,1% pelo mesmo conceito.

A chamada conta petróleo registrou déficit de US$ 3,6 bilhões contra US$ 4,6 bilhões no mesmo período do ano passado. O bom desempenho das vendas externas de petróleo e óleos combustíveis tende a minimizar o impacto da crescente necessidade de acionamento das usinas térmicas. A perspectiva de safra recorde de alguns produtos e de desaceleração da economia chinesa tem pressionado o preço das principais commodities exportadas pelo Brasil, que tiveram forte queda: milho (-30,1%), açúcar (-18,0%), carne de frango (- 12%), soja (- 7,6%), petróleo bruto (- 4,5%) e carne bovina (- 4,5%). Nem mesmo a desvalorização do câmbio médio tem sido suficiente para dar folego à indústria. As exportações de bens industrializados caíram 6,1%. A crise pela qual passa a Argentina, terceiro maior parceiro comercial do Brasil e grande importador de manufaturados, acentua esse problema. Os fatores que sustentaram a balança comercial e o acúmulo de reservas até 2012 perderam força. Após o péssimo resultado de 2013, o sinal de alerta permanece ligado para este ano.

Ed.377

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,4% em outubro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,4% em outubro quando comparado a setembro na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12 meses (novembro de 2016…

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…