[Análise] Pisada no freio nas concessões PJ em abril

O principal destaque dos economistas da Boa Vista em sua análise das estatísticas de crédito de abril, divulgadas nesta quarta-feira (29) pelo Banco Central, foi a desaceleração observada nas concessões de crédito para empresas.

Segundo cálculos da área de Indicadores e Estudos Econômicos da empresa, o ritmo de crescimento dos novos empréstimos com recursos livres para pessoas jurídicas, já descontados os efeitos da inflação, recuou de cerca de 10% para 7,9%, conforme é possível observar no gráfico abaixo.

“Ainda é cedo para afirmar que o atual ciclo de expansão do crédito às empresas já esteja próximo ao fim, mas esse dado de abril não deixa de ser um alerta quando analisado no contexto de rápida deterioração do cenário econômico”, analisam os economistas, que chamam atenção para a queda da confiança das empresas observada nos últimos meses.

“Diante da revisão para baixo das expectativas para o crescimento da economia e da menor confiança, os empresários tendem a adotar uma postura mais cautelosa, adiar investimentos e evitar o endividamento”, explicam.

A equipe econômica da Boa Vista alerta ainda que a lenta recuperação da economia tende a encurtar os ciclos de expansão do crédito. “O fraco crescimento da renda limita a capacidade de endividamento tanto das empresas quanto das famílias. Também nas operações para pessoas físicas já se nota uma lenta desaceleração desde o ano passado”, analisam.

A inadimplência, por sua vez, segue estável e próxima dos menores patamares da história. Considerando as operações com recursos livres, ela atingiu 2,7% em abril, ante 2,8% em março. No caso das pessoas físicas, ela ficou em 4,7%.

“Sem recuperação da atividade econômica e do mercado de trabalho, aumenta a probabilidade de que o crescimento dos empréstimos observado nos últimos meses resulte em aumento da inadimplência, o que ainda não estava no radar”, concluem os economistas.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Confiança do Consumidor volta a apresentar queda, interrompendo cinco meses de avanço

Comentários:                                                                                                          Segundo a Fundação Getúlio Vargas, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) atingiu 82,4 pontos em outubro recuando 1,2% contra setembro, na série livre de influências sazonais. O Índice de Situação Atual (ISA) apresentou baixa de 0,3%, enquanto o de Expectativas (IE) caiu 1,4% nesta mesma base de comparação. Em relação ao mesmo…

Para BC, atividade econômica continua a apresentar queda na análise 12 meses, apesar do avanço mensal de 1,1%

Comentários:                                                                                                             …

Volume de Serviços avança 2,9% em agosto, mas acentua queda na análise em 12 meses

  Comentários:                                                                                                           …