Boa Vista dá dicas de como o consumidor pode usar o dinheiro do FGTS

O que fazer com o dinheiro sacado do FGTS de contas ativas e inativas? Serão até R$ 500 por conta, o que corresponde a meio salário mínimo atualmente (R$998,00). Algumas famílias poderão duplicar ou triplicar esse valor, dependendo de quantas pessoas tiverem direito a sacar, o que pode representar uma possibilidade para voltar ao azul, equilibrar as finanças ou até poupar.

A Boa Vista dá algumas dicas de como o consumidor que pretende sacar o FGTS pode utilizar o valor. Para se ter uma ideia, segundo uma pesquisa divulgada recentemente pela Boa Vista, 68% dos consumidores entrevistados têm direito ao saque e, dentre eles, 67% pretendem fazê-lo.

Sair do vermelho

Para quem tem dívidas em aberto, esse dinheiro do FGTS pode servir para quitá-las ou abater do total. Nesse caso, o indicado é dar prioridade ao pagamento das dívidas com juros mais altos, como a fatura do cartão de crédito ou o cheque especial.

Outra prioridade deve ser as contas de serviços básicos, como luz, água e telefone. Com o dinheiro na mão, é possível negociar um desconto da dívida com os credores. No entanto, isso deve ser feito dentro de um planejamento financeiro. Levando em consideração as receitas e as despesas da família e colocando tudo na ponta do lápis ou em uma planilha no Excel, que pode ser encontrada para download no site www.consumidorpositivo.com.br da Boa Vista. Neste endereço também é possível consultar as dívidas atrasadas, gratuitamente.

Quitar parcelas de dívidas

Se as contas estão em dia, mas ainda faltam várias prestações pela frente, uma opção é antecipar algumas, desde que o consumidor consiga negociar algum desconto.

Caso contrário é melhor aplicar o dinheiro, até mesmo na poupança, e ir pagando mensalmente as prestações.

Reserva de emergência

Se o consumidor está com as contas em dia e o orçamento sob controle, então o valor do FGTS pode ser a oportunidade de fazer ou aumentar a reserva de emergência, aquele dinheiro que o consumidor deixa guardado para usar apenas num momento crítico.

Mesmo que o valor sacado do FGTS não chegue ao ideal para a reserva, já é o primeiro passo para o consumidor ter uma poupança para quando ficar sem renda ou em caso de alguma necessidade imprevista.

Investimentos

Já para aqueles consumidores que estão com as finanças organizadas e inclusive com uma boa reserva de emergência, um outro caminho é poupar. A caderneta de poupança pode ser uma boa opção.

Títulos do Tesouro Direto, cujo valor mínimo de investimento é de aproximadamente R$ 35,00, também podem ser considerados caso o consumidor queira aplicar o dinheiro do FGTS, uma vez que rendem mais que a poupança. Porém, é preciso que o consumidor tenha em mente que os títulos são tributados e o percentual de retorno depende do prazo no qual o dinheiro ficará investido.

O valor sacado do FGTS também pode ser utilizado em um plano de previdência privada.

Invista em você

O consumidor também pode pensar na possibilidade de utilizar o valor sacado do FGTS para pagar um curso, aprimorar conhecimentos, adquirir novas práticas e, assim, ser mais competitivo no mercado de trabalho.

Pequeno negócio

O dinheiro do FGTS pode servir também para dar início a um pequeno negócio que complemente a renda mensal. Investir na produção de chocolates, bombons, brigadeiros, bolos, artesanato é uma possibilidade de aumentar os ganhos mensais e, quem sabe, virar, no futuro, a principal atividade e fonte de renda do consumidor.

Compras

Se o consumidor está no azul, com todas as finanças organizadas na ponta do lápis e quer usar parte desse dinheiro extra para comprar algo também é possível, desde que seja feito um planejamento.

O indicado é pesquisar o preço do produto, checar o orçamento e escolher a melhor forma de pagamento para não comprometer as finanças.

 


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Resultado do PIB revela queda de 1,5% no primeiro trimestre

Os dados do PIB do 1º trimestre, divulgados hoje pelo IBGE, reforçaram o cenário de fragilização da atividade econômica. No primeiro trimestre de 2020, o produto recuou 1,5% na comparação com os três últimos meses do ano passado, de acordo com dados dessazonalizados, interrompendo uma sequência de quatro trimestres de crescimentos consecutivos. Na comparação com…

Consumidores com aumentos frequentes em operações de crédito são mais propensos à inadimplência

Demanda por Crédito do Consumidor cai 24,4% em abril

A Demanda por Crédito do Consumidor recuou 24,4% em abril na comparação com março, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. No acumulado do ano o indicador caiu 11,7% contra o mesmo período do ano passado. Já no acumulado em 12 meses, o indicador passou para o campo negativo…

PNADC: Taxa de desemprego atinge 12,6% em abril

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE, a taxa de desemprego avançou para 12,6% no trimestre móvel encerrado em abril. Estando 0,4 p.p. acima do registrado no mês anterior e 0,1 p.p. maior em relação ao mesmo período do ano passado (12,5%). Em termos absolutos, a população desocupada…