Boa Vista restabelece prazo de exibição de débitos de consumidores ao mercado

 

Em 17 de julho próximo, termina a medida de proteção adotada pelos bureaus de crédito durante o período crítico do estado de calamidade, medida esta que alterou para 45 dias o prazo mínimo para exibição das negativações, a fim de proporcionar um período maior de negociação dos débitos entre consumidores e credores frente à crise financeira ocasionada pelo novo coronavírus.

Entendemos que tal medida apresentou resultados relevantes no auxílio das pessoas físicas e jurídicas afetadas pela situação econômica atual. Nesse sentido, a partir de 20 de julho próximo começaremos a restabelecer gradualmente o prazo de exibição de débitos inclusos em nosso banco de dados.

Tal retorno gradual é essencial para que se proteja não somente os consumidores, mas também os próprios credores e bureaus de crédito de forma a alinhar expectativas e proporcionar um tratamento isonômico e de equidade entre os consumidores, ao mesmo tempo mantendo o poder de negativação ante ao número de Projetos de Lei que estão nos Congresso e Assembleias Estaduais.

O restabelecimento ocorrerá da seguinte forma:

A partir de 20/07 o prazo de exibição cairá para 40 dias.
A partir de 27/07 cairá para 35 dias.
A partir de 03/08 cairá para 30 dias.
A partir de 10/08 cairá para 25 dias.

E a partir de 17/08 voltará ao prazo normal de 20 dias no Estado de São Paulo e serão restabelecidos os prazos praticados regularmente nos demais Estados da Federação.

Ao trabalhar pelo equilíbrio das relações de consumo, a Boa Vista aconselha os consumidores a procurarem seus credores para avaliar as alternativas para o pagamento da dívida, mantendo o nome limpo e pronto para ter crédito sempre que precisar. E aos credores a manterem o fluxo de envio de registros de débito aos seus clientes, para que tenham ciência destes novos prazos e com isso consigam se organizar para uma possível regularização.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Confiança do Consumidor volta a apresentar queda, interrompendo cinco meses de avanço

Comentários:                                                                                                          Segundo a Fundação Getúlio Vargas, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) atingiu 82,4 pontos em outubro recuando 1,2% contra setembro, na série livre de influências sazonais. O Índice de Situação Atual (ISA) apresentou baixa de 0,3%, enquanto o de Expectativas (IE) caiu 1,4% nesta mesma base de comparação. Em relação ao mesmo…

Para BC, atividade econômica continua a apresentar queda na análise 12 meses, apesar do avanço mensal de 1,1%

Comentários:                                                                                                             …

Volume de Serviços avança 2,9% em agosto, mas acentua queda na análise em 12 meses

  Comentários:                                                                                                           …