[Pesquisa] Cai otimismo dos empresários em relação a investimentos, faturamento e demanda por crédito

Depois de um 1º trimestre mais otimista para os negócios, os empresários brasileiros começam a olhar o cenário econômico com um pouco mais de cautela e preveem perspectivas menos animadoras para os próximos meses de 2019. Foi o que constatou a Pesquisa Perspectiva Empresarial da Boa Vista, feita com pouco mais de mil empresários, em todo o país, ao longo do 2º trimestre.

Investimentos

De acordo com o levantamento, metade dos empresários está otimista e pretende realizar novos investimentos até o final de 2019. No entanto, na comparação o 1º trimestre deste ano, observou-se uma queda 12 pontos percentuais (de 62% para 50%) entre os respondentes que pretendem investir em seus próprios negócios no decorrer deste ano.

Dentre aqueles que farão investimentos em suas empresas, 56% aplicarão em tecnologia, 51% em novos produtos e serviços, e 45% em pessoal e força de trabalho. Com exceção dos investimentos previstos em tecnologia, que permaneceram estáveis aos informados na pesquisa do 1º Tri/19, os investimentos em novos produtos e serviços e em pessoal e força de trabalho sofreram queda no 2º Tri/19 (de 14p.p. e 8p.p., respectivamente).

Faturamento

58% dos empresários apontaram perspectivas de crescimento no faturamento até o final de 2019, 11p.p. inferir na comparação ao registrado no 1º trimestre de 2019. A imagem abaixo contém o detalhamento.

Inadimplência e endividamento

Na comparação entre o 1º e o 2º trimestre deste ano aumentou de 14% para 22% o percentual dos empresários que esperam crescimento na inadimplência nos negócios.

De acordo com a pesquisa da Boa Vista, 45% dos empresários acreditam que o nível de endividamento das empresas irá diminuir ao longo deste ano. Na comparação com o levantamento feito no 1º trimestre de 2019, o percentual permaneceu praticamente estável.

Para outros 28% o nível de endividamento continuará no mesmo patamar e para 13% apresentará crescimento em relação a 2018 (o percentual era de 21% no mesmo período do ano anterior).

Demanda por crédito

Ainda segundo os empresários entrevistados no 2º trimestre pela Boa Vista, 38% informaram que demandarão mais crédito neste ano de 2019, contra 41% no 1º Tri/19. Por outro lado, o percentual dos que não demandarão crédito aumentou de 45% para 52%.

Dentre os que demandarão mais crédito em 2019, 52% irão realizar novos investimentos. 33% terão como objetivo alavancar o capital de giro, e os outros 15% utilizarão os recursos para pagar credores, apontando um cenário mais positivo, uma vez que em 2018 este percentual era de 27%.

Ainda em relação aos 38% dos empresários que demandarão mais crédito em 2019, independente da finalidade do recurso, 42% deles esperam que ao contratar o crédito, as taxas de juros praticadas pelas Instituições Financeiras sejam menores em comparação ao ano anterior. Outros 26% acreditam que pagarão taxas superiores, contra 17% dos respondentes no 1º Tri/19.

O link a seguir contém o infográfico que ilustra de modo geral estes dados. Acesse!

Metodologia

A Pesquisa Perspectiva Empresarial – 2º Trimestre (evolutivo 2018 e 2019) buscou identificar a percepção dos empresários do ponto de vista econômico e as perspectivas para o ano de 2019. Para a sua realização foi usada a metodologia quantitativa com coleta de informações, por meio de pesquisa eletrônica via internet. O seu universo é representado cerca de mil empresas dos diferentes setores de Comércio (atacadista e varejista), Serviços (Instituições Financeiras e Construção Civil) e Indústria. Para leitura geral dos resultados, deve-se considerar 95% de grau de confiança, e margem de erro de 3%, para mais ou para menos.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Pedidos de seguro-desemprego recuam 32% em junho na comparação mensal

O Ministério da Economia divulgou ontem os dados referentes ao movimento dos pedidos de seguro-desemprego. Em junho, o número de requerimentos ao seguro–desemprego foi 32% menor em relação ao mês anterior, contabilizando cerca de 653.160 pedidos na modalidade trabalhador formal. Já na comparação com junho do ano passado houve alta de 28,4%, registrando o quarto…

IPCA avança 0,26% em junho, após dois meses de deflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)[1] avançou 0,26% no mês de junho. No acumulado em 12 meses houve evolução para 2,13%, 0,25 p.p. acima da variação observada em maio.  Com esse resultado, o indicador acumulou baixa de 0,11% no ano. O grupo Alimentação e bebidas (0,38%) foi o que registrou maior impacto…

Volume de serviços recua 0,9% em maio

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE divulgada hoje, o volume do setor de serviços recuo 0,9% na comparação com o mês anterior (dados dessazonalizados). Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o indicador contraiu 19,4%. Com isto, o setor acumula baixa de 2,7% na análise em 12 meses. Nos resultados mensais…