COMUNICADO DA ANBC – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS BUREAUS DE CRÉDITO 

O mundo enfrenta uma situação sem precedentes, cujos desdobramentos não se consegue prever. A ANBC (Associação Nacional dos Bureaus Crédito), entidade que representa a indústria de análise de dados, tem acompanhado as medidas sociais, econômicas e sanitárias que vêm sendo anunciadas em todo o mundo, e também no Brasil, para mitigar as consequências nefastas da pandemia causada pelo coronavírus.

O crédito é um instrumento fundamental na economia e mais do que nunca necessário à retomada das atividades produtivas no país e ao bem-estar social.

Assim sendo, as empresas de análise de dados têm acompanhado as melhores práticas internacionais. E, entendendo este momento único, destacam a importância de manter o fluxo de informações para avaliação do crédito. E também entendem que é necessário abrir espaço para que credores, consumidores e empresas conversem e renegociem seus créditos de forma responsável, para que a economia e o bem-estar social se restabeleçam de forma sustentável.

Dando seguimento e suporte às medidas já adotadas pelos credores em geral para repactuação do crédito, e às medidas anunciadas pelo governo brasileiro, a ANBC informa que os birôs de crédito estenderão o processo de negativação, em geral de 10 dias a partir da comunicação ao devedor, para 45 dias. Como resultado disso, devedores e credores terão um prazo alongado para realizar a renegociação.

Essa medida passa a valer a partir de 17 de abril, pelo período de 90 dias. O objetivo é proporcionar o tempo necessário para as renegociações entre as partes nesse momento crítico, e garantir a proteção de consumidores e empresas. A medida pode ser prorrogada, caso necessário.

O setor continua monitorando o surto de COVID-19 e seus efeitos sobre empresas e indivíduos. E trabalhando com todas as partes interessadas para minimizar os efeitos sobre a capacidade de crédito de indivíduos, comerciantes individuais ou PMEs, sempre disposto a complementar as medidas acima, se necessário.

Por fim, reforça que a manutenção do sistema de avaliação de crédito é crucial para qualquer medida de recuperação econômica, especialmente como parâmetro para um eventual programa de reativação da economia e auxílio a devedores. As informações incluídas em suas bases de dados poderão auxiliar as autoridades governamentais a compreender o que está acontecendo na economia e direcionar ajuda financeira para as empresas e indivíduos que mais precisam.

 

São Paulo, 9 de abril de 2020


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Resultado do PIB revela queda de 1,5% no primeiro trimestre

Os dados do PIB do 1º trimestre, divulgados hoje pelo IBGE, reforçaram o cenário de fragilização da atividade econômica. No primeiro trimestre de 2020, o produto recuou 1,5% na comparação com os três últimos meses do ano passado, de acordo com dados dessazonalizados, interrompendo uma sequência de quatro trimestres de crescimentos consecutivos. Na comparação com…

Consumidores com aumentos frequentes em operações de crédito são mais propensos à inadimplência

Demanda por Crédito do Consumidor cai 24,4% em abril

A Demanda por Crédito do Consumidor recuou 24,4% em abril na comparação com março, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. No acumulado do ano o indicador caiu 11,7% contra o mesmo período do ano passado. Já no acumulado em 12 meses, o indicador passou para o campo negativo…

PNADC: Taxa de desemprego atinge 12,6% em abril

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE, a taxa de desemprego avançou para 12,6% no trimestre móvel encerrado em abril. Estando 0,4 p.p. acima do registrado no mês anterior e 0,1 p.p. maior em relação ao mesmo período do ano passado (12,5%). Em termos absolutos, a população desocupada…