Consumidor tem consulta gratuita on-line de CPF 24 horas por dia

Em uma época de inadimplência em alta, com 57 milhões de inadimplentes no Brasil, o consumidor tem uma alternativa prática, sem custo e segura para consultar seu CPF: trata-se do serviço gratuito oferecido pela Boa Vista SCPC que permite realizar essa consulta on-line, 24 horas por dia, todos os dias da semana, por meio do site com serviços de utilidade pública: www.consumidorpositivo.com.br.

Com essa opção, o consumidor pode fazer uma consulta frequente ao seu CPF, o que aumenta sua segurança e reduz o risco de golpes e fraudes com a utilização indevida de seu nome. Além disso, se ele já recebeu uma carta de aviso de débito da Boa Vista SCPC poderá renegociar o débito pela internet com total segurança.

Para consultar seu CPF o processo é fácil e rápido: basta preencher um cadastro simples no site www.consumidorpositivo.com.br para garantir a segurança de acesso aos seus dados. Após esse cadastro, o consumidor recebe uma senha por e-mail e pode consultar se há pendências em seu nome no SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). O sistema informa os dados do credor, o valor da dívida e permite uma renegociação online.

Para fazer a renegociação, o consumidor tem também outra facilidade da Boa Vista SCPC: até 12 de dezembro poderá aproveitar o mutirão on-line “Acertando suas Contas”, para checar se a empresa credora é uma das 101 participantes. Ao acessar o endereço www.consumidorpositivo.com.br é possível consultar o débito, gratuitamente, e neste mesmo ambiente virtual fazer a renegociação, sendo a empresa credora participante do mutirão. As condições são muito favoráveis tanto para o consumidor quanto para o credor.

Com a comodidade e a rapidez os serviços eletrônicos, o mutirão on-line “Acertando suas Contas” está disponível 24 horas por dia, sete dias da semana. Nele participam bancos, financeiras, varejistas, utilities (bens e serviços), e também de outros segmentos, de grande e médio porte. Essas empresas totalizam 81 milhões de dívidas com pagamentos atrasados que somam R$ 227,6 bilhões, e oferecem dois modelos de negociação: uma proposta de pagamento no site, ou um canal indicando a melhor forma de chegar a um acordo.

As empresas participantes são: Administradora Palma, AES Eletropaulo, AF Afonso, Alfa, Andorinha Supermercado, Aq Affonso Calçados, Atrapalo Brasil Viagens, Banco Cifra, Banco Daycoval, Banco do Brasil, Banco Fibra, Banco Ficsa, Banco Industrial do Brasil, Bando Itaú, Banco PSA, Banco Safra, Banif, Barueri Serviços, Becker Calçados, Belian, Bic Banco, BMG, BNP Paribas; Bradesco, BTG Pactual; Caixa Econômica Federal; Carrefour, Casa Fernandes de Pneus, Casa Giacomo de Ferragens; Casas Bahia, CAV Sul-Centro Apoio de Vendas, CDHU – Governo do Estado de São Paulo, CEMA, Citibank, CPFL, Cred System, Credz Cartões, Crefisa, Cybelar, D’Avó Supermercados, Della Via Pneus, DPaschoal, Drogão, E Geglio Calçados, Empório Vip, Felithi Comercial, FIDC NP Multisegmentos CreditStore, Financial Management Control, Global Brasil Gestão Financeira, GM, Grupo Atlântico, Grupo Júlio Simões, Grupo Martins, Grupo Nicom, Grupo Paulista, Grupo Pine, Grupo Polimport, Grupo Rede, HStern, Hospital Villa Lobos, HSBC/Losango, Hyndai Caoa, Ipanema Credit, J Justino Jóias, JBCred, Jequiti, Lelo, Lojas Cem, Mag Stock, Mapfre, Marisa, Maxs Optica, Multicredito, Natumar, Natura, Net Serviços, Nextel, Omni, Pernambucas, Porto Seguro, Price Veículos, Raquel Francisca, Rc Lemos, Rei das Fotos, Restoque, Riachuelo, Santander/Real, Senac SP, Sinal, Sociedade Educacional das Américas, Societe Generale, Sofisa, Sonda, Stefanini, Supermercado Ourinho, Supermercado Rossi New, Teledata, Vivo/Telefonicca, Votorantim, VoxCred, Yamaha.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Consumidores dizem que gastarão menos neste Natal, mas valor médio dos gastos será 4,5% maior

14 de dezembro de 2018 – 72% dos consumidores disseram que gastarão menos dinheiro neste Natal e Fim de Ano, em relação ao ano passado, quando 75% tinham esta intenção. 11%, por sua vez, afirmaram que irão gastar mais, contra 9% em 2017. Por outro lado, o valor médio previsto com todos os gastos, por…

Vendas no varejo caem 0,4% em outubro

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE hoje, o volume de vendas no Varejo restrito caiu 0,4% em outubro na comparação mensal com ajuste sazonal. No acumulado em 12 meses o indicador cresceu 2,7%. No acumulado do ano a evolução foi de 2,2% em relação a 2017. Avaliando as séries…

Boa Vista: PMC de outubro evidencia crise das grandes livrarias

Por trás da queda de 0,4% das vendas do varejo de outubro – após recuo de 1,3% em setembro, já descontados os efeitos sazonais –, há, de um lado, fatores pontuais, como os preços elevados dos combustíveis – que derrubaram novamente as vendas do setor – e a crise no ramo de livrarias, com fechamento…