Pagamento de dívidas cresce 4,6% em fevereiro, diz Boa Vista SCPC

O pagamento de dívidas pelo consumidor subiu 4,6% em fevereiro, na comparação com janeiro, em todo o país, na série de dados ajustada sazonalmente, de acordo com a Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na série de dados sem correção sazonal, a comparação interanual (fevereiro de 2015 frente a fevereiro de 2014), a recuperação de crédito apresentou recuo de 10,2%.

No acumulado do primeiro bimestre do ano também houve queda, de 5,2%, bem como na comparação acumulada em 12 meses (março/2014 fevereiro/2015 contra os 12 meses antecedentes), em que o indicador de recuperação de crédito apresentou queda de 4,2%.

recupcred1

A queda de 4,2% apresentada por este indicador de recuperação de crédito do consumidor, no acumulado em 12 meses, apresenta seu nível mais baixo desde o início da série, em janeiro de 2005. Mesmo com elevação dos registros de inadimplência no período, a desaceleração do crédito e da própria atividade econômica são fatores que preponderam sobre os demais no fluxo de baixa de registros de inadimplência da base da Boa Vista SCPC. Apesar da deterioração no cenário macroeconômico – especialmente para o mercado de trabalho – os fundamentos do mercado de crédito ainda permanecem em bons níveis: tanto por parte do consumidor quanto por parte das empresas concedentes de crédito, tem se observado cautela nas transações, comportamento traduzido, por exemplo, nas quedas do número de atrasos registrados no sistema financeiro nos últimos meses. Diante deste cenário, a expectativa da Boa Vista SCPC é de que a recuperação de crédito feche o ano estável, na comparação com 2014.

Regiões

Na comparação dos dados mensais com ajuste sazonal, observou-se maior elevação nas regiões Nordeste e Norte, que variaram +10,6 e +9,9% respectivamente. Já as regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul também obtiveram aumentos de 6,9%, 2,7% e 1,3%, respectivamente

Varejo

O indicador que considera a recuperação de crédito no setor varejista registrou recuo de 2,2% na comparação mensal dos dados dessazonalizados. Dentre as regiões ficou a seguinte configuração: Nordeste (-3,8%), Centro-Oeste (-2,7%), Sudeste (-2,1%), Norte (-1,3%) e Sul (+0,6%).

recupcred2

Metodologia

O indicador de recuperação de crédito do consumidor é elaborado a partir da quantidade de exclusões dos registros de dívidas vencidas e não pagas informados anteriormente à Boa Vista pelas empresas credoras. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100 e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal. A partir de janeiro de 2014, houve atualização dos fatores sazonais e reelaboração das séries dessazonalizadas, utilizando o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau.

 A série histórica do indicador está disponível em: http://www.boavistaservicos.com.br/economia/recuperacao-de-credito/

Comentários

comentários

Posts relacionados

Pagamento de contas diversas é o que mais pesa no bolso do consumidor

São as contas diversas que estão impossibilitando de o consumidor manter o seu fluxo de caixa organizado e o “nome limpo”, segundo pesquisa online semestral realizada pela Boa Vista SCPC para identificar o Perfil do Consumidor Inadimplente. Dos quase 4 mil respondentes, de todo o Brasil, 23% afirmaram que manter em dia o pagamento de…

Inadimplência do consumidor cai 2,4% em novembro

A inadimplência do consumidor caiu 2,4% em novembro na avaliação mensal com ajuste sazonal, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Já nos valores acumulados em 12 meses (dezembro de 2016 até novembro de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração 3,5%. Quando comparado o resultado contra o mesmo mês de 2016,…

Produção Industrial registra crescimento de 0,2% em outubro e 1,5% em 12 meses

Dados divulgados hoje pelo IBGE revelam que a Pesquisa Industrial Mensal (PIM) registrou crescimento de 0,2% em outubro, considerando a comparação mensal (série com ajuste sazonal). Considerando os últimos 12 meses, a recuperação ganhou mais consistência, uma vez que sua leitura foi de 0,4% para 1,5% entre os meses de setembro e outubro. Na comparação…