Recuperação de crédito do consumidor cai 3,6% no 1º trimestre de 2015

O indicador de recuperação de crédito do consumidor – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de dívidas no banco de dados – apontou queda de 3,6% em todo o país, no acumulado do primeiro trimestre de 2015, em comparação ao mesmo período de 2014, de acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na comparação interanual (mar/15 contra mar/14) o pagamento de dívidas apresentou recuo de 2,9%. Na comparação acumulada em 12 meses (abr/14 até mar/15 contra os 12 meses antecedentes), o indicador de recuperação de crédito apresentou recuo de 4,3%. Na análise mensal (mar/15 contra fev/15) houve queda de 4,7%, na série de dados ajustada sazonalmente.

gr1

A queda registrada pelo indicador de recuperação de crédito do consumidor apresenta novo recorde negativo em sua série histórica (na avaliação do resultado acumulado em 12 meses), iniciada em janeiro de 2005. Em 2015, além da menor intensidade das transações no mercado de crédito,  observa-se maior deterioração do cenário macroeconômico no Brasil – especialmente para o mercado de trabalho. Apesar de, no momento, os fundamentos do mercado de crédito permanecerem ainda em bons níveis, deve ocorrer uma ligeira deterioração nos próximos meses, fato que deverá trazer novo resultado negativo na recuperação de crédito, fechando o ano com queda de 1,5% na comparação com 2014.

Regiões

Na comparação mensal (mar/15 contra fev/15), observa-se queda generalizada nas regiões, que apresentaram os seguintes resultados: Centro-oeste (-5,8%), Norte (-1,2%), Sul (-3,9%), e Nordeste e Sudeste (-4,9%).

Varejo

O indicador que considera a recuperação de crédito do consumidor no setor varejista registrou recuo de 3,8% na comparação mensal (mar/15 contra fev/15) dos dados dessazonalizados. Dentre as regiões, ficou a seguinte configuração: Sudeste (-5,5%), Centro-Oeste (-5,2%), Sul (-3,6%), Nordeste (0,1%) e Norte (1,3%).

tb1

Metodologia

O indicador de recuperação de crédito é elaborado a partir da quantidade de exclusões dos registros de dívidas vencidas e não pagas informados anteriormente à Boa Vista pelas empresas credoras. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100 e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal. A partir de janeiro de 2014, houve atualização dos fatores sazonais e reelaboração das séries dessazonalizadas, utilizando o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau.

A série histórica deste indicador inicia-se em 2005 e está disponível em: http://www.boavistaservicos.com.br/economia/recuperacao-de-credito/

Comentários

comentários

Posts relacionados

Vendas Dia dos Pais: pequenas e médias empresas podem contar com soluções para prospecção de clientes e prevenção de fraudes

O Dia dos Pais está próximo e, como em todas as datas comemorativas, o varejo se prepara e começa a criar estratégias para chamar a atenção dos consumidores, ao mesmo tempo em que busca alternativas para se resguardar de possíveis vendas cujos pagamentos podem não ser efetivados. Há um mês para a data, a área…

Desemprego aumenta como o principal motivo da restrição do nome dos consumidores

Ao longo do último um ano e meio, o desemprego apresentou um crescimento de 13 pontos percentuais entre os principais motivos que levaram à restrição dos consumidores brasileiros. A constatação é da Pesquisa Perfil do Consumidor, elaborada pela Boa Vista SCPC, no decorrer do 1º semestre de 2018, com cerca de 1.700 pessoas, em todo…

Recuperação de crédito cai 2,4% no 1º semestre de 2018

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou queda de 2,4% no acumulado do 1º semestre de 2018. Na comparação mensal dessazonalizada, houve queda de 2,8% em junho contra o mês anterior. Já na análise acumulada em…