Inadimplência do consumidor tem alta de 2,4% no ano, revela Boa Vista SCPC

A inadimplência do consumidor brasileiro cresceu 2,4% no acumulado do ano (jan/14 a set/14), contra o mesmo período de 2013, de acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Entretanto, na comparação mensal (set/14 contra ago/14), a inadimplência caiu 4,0%, descontados os efeitos sazonais. No mesmo período de 2013 contra 2012, o indicador apontava queda de 0,9%.

Com este resultado, houve aumento de 2,1% da inadimplência no acumulado em 12 meses (out/13 a set/14) quando comparado ao período anterior (out/12 a set/13). Na comparação interanual (set/14 contra set/13) o indicador cresceu 1,3%.

O valor médio real das dívidas incluídas em setembro de 2014 foi de R$1.084,75, após ajustes estatísticos.

 

reg1

Ao longo do ano, observaram-se poucas oscilações das variáveis condicionantes para a inadimplência. Assim, a previsão é que a maior seletividade das empresas concedentes de crédito, o desaquecimento gradual do mercado de trabalho e as taxas juros mantenham até o final do ano esta mesma dinâmica da inadimplência. Desta maneira, a expectativa é de que o número de registros de consumidores inadimplentes feche 2014 com um leve crescimento, em torno de 2,5%.

Regiões

Na análise regional, o resultado acumulado no ano manteve tendência de desaceleração em todas as regiões, exceto no Centro-Oeste e Sul, que passaram de 6,9% e 7,0% para 7,3% e 7,5%, respectivamente. Já as regiões Nordeste, Norte e Sudeste registraram altas de 3,7%, 2,2% e 0,1%.

Retirados os efeitos sazonais, na avaliação mensal houve nova redução generalizada no indicador, tendo se destacado a região Nordeste, com queda de 6,0%. Nas demais regiões os resultados foram: -4,4% no Centro-Oeste e no Norte, -1,8% no Sul e -3,7% no Sudeste.

Varejo

Quando considerado apenas o setor de varejo, subconjunto do indicador geral, o indicador nacional registrou queda de 4,9% em setembro, em comparação ao mês anterior, após descontados os efeitos sazonais. Dentre as regiões, mantida a base de comparação, Norte, Sudeste e Centro-Oeste caíram 4,1%, 6,1% e 4,4%, respectivamente, enquanto Sul e Nordeste oscilaram -9,2% e +0,9%.

reg2

Metodologia

O indicador de registro de inadimplência é elaborado a partir da quantidade de novos registros de dívidas vencidas e não pagas informados à Boa Vista pelas empresas credoras. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100 e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal. A partir de janeiro de 2014, houve atualização dos fatores sazonais e reelaboração das séries dessazonalizadas, utilizando o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau.

 

A série histórica do indicador está disponível em: http://www.boavistaservicos.com.br/economia/registro-de-inadimplencia/

Comentários

comentários

Posts relacionados

34% dos consumidores dizem não ter controle dos ganhos e gastos

Para investigar os hábitos sobre controle orçamentário e fontes de informações sobre o tema, a Boa Vista SCPC realizou uma pesquisa inédita com aproximadamente 1200 consumidores, de todo o Brasil, e constatou que 34% dos entrevistados não controlam o quanto ganham e gastam no mês. Realizada entre os meses de maio e julho, a pesquisa…

Percentual de cheques devolvidos atinge 1,70% em outubro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] foi de 1,70% em outubro, registrando considerável redução em relação ao mesmo mês do ano anterior (-0,76 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados diminuiu frente ao mês de setembro (quando o nível…

Vendas no varejo crescem 0,5% em setembro e caem 0,6% no acumulado 12 meses

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE, o volume de vendas no Varejo restrito subiu 0,5% em setembro na comparação mensal (com ajuste sazonal), enquanto na variação acumulada em 12 meses, a trajetória do indicador apresentou melhora de 1 p.p. em relação ao mês anterior, apresentando retração de apenas 0,6%….