Movimento do Comércio avança 1,4% em agosto

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, avançou 1,4% em agosto deste ano na comparação com julho, já descontados os efeitos sazonais, de acordo com dados apurados pela Boa Vista. A alta se deu após a queda de 0,7% em julho – sendo o segundo avanço mensal do ano. Na comparação com agosto de 2018, houve crescimento de 1,2%, enquanto, no acumulado em 12 meses, o indicador registrou ligeira aceleração e subiu 1,3%.

As concessões de crédito com recursos livres aos consumidores vêm se acelerando, o que parece estar por trás do crescimento do movimento do comércio em agosto.

O mercado de trabalho, contudo, segue bastante fragilizado, com o desemprego caindo basicamente por causa da expansão da informalidade e do trabalho por conta própria. Com isto, a renda cresce pouco, o que tem resultado em aumento do endividamento e do comprometimento da renda.

Por outro lado, a liberação dos recursos do FGTS deve representar um alívio para os consumidores e um fôlego adicional para o varejo, que já dá indícios de que deve ter um segundo semestre com desempenho superior ao observado no primeiro.

Setores

Na análise mensal, nota-se crescimento em todos os segmentos analisados. O segmento de “Móveis e Eletrodomésticos” apresentou alta de 1,9%, descontados os efeitos sazonais. Nos dados sem ajuste sazonal, o acumulado em 12 meses voltou para o terreno positivo (+0,3%).

A atividade de “Supermercados, Alimentos e Bebidas” registrou crescimento de 1,3% no mês na série dessazonalizada. Na série sem ajuste, a variação acumulada em 12 meses foi de 1,1%.

Já a categoria de “Tecidos, Vestuários e Calçados” cresceu 1,1% no mês, expurgados os efeitos sazonais. Nos dados acumulados em 12 meses houve alta de 3,6%.

Por fim, o segmento de “Combustíveis e Lubrificantes” apresentou crescimento de 0,4% em agosto considerando dados dessazonalizados, enquanto, na série sem ajuste, a variação acumulada em 12 meses foi de 0,8%.

Abaixo a tabela contemplando os valores mencionados.

Ainda que o Indicador Movimento do Comércio siga oscilante (quedas mensais até maio, alta em junho, queda em julho e nova alta em agosto), já há sinais de consolidação de uma ligeira tendência de aceleração, que tende a ganhar força com os saques dos recursos do FGTS.

Após a alta de julho registrada na Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE, o indicador da Boa Vista aponta para nova e significativa alta das vendas em agosto.

Ainda assim, é preciso ressaltar que os efeitos dos recursos do FGTS rapidamente se dissiparão – assim como em 2017 – sem uma melhora substancial da dinâmica do mercado de trabalho e do comprometimento da renda das famílias com o pagamento de dívidas.

Metodologia

O indicador Movimento do Comércio é elaborado a partir da quantidade de consultas à base de dados da Boa Vista, por empresas do setor varejista. As séries têm como ano base a média de 2011 = 100, e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal. A partir de janeiro de 2014, houve atualização dos fatores sazonais e reelaboração das séries dessazonalizadas, utilizando o filtro sazonal X-12 ARIMA, disponibilizado pelo US Census Bureau.

A série histórica do indicador está disponível em: www.boavistaservicos.com.br/economia/movimento-do-comercio/

 


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Resultado do PIB revela queda de 1,5% no primeiro trimestre

Os dados do PIB do 1º trimestre, divulgados hoje pelo IBGE, reforçaram o cenário de fragilização da atividade econômica. No primeiro trimestre de 2020, o produto recuou 1,5% na comparação com os três últimos meses do ano passado, de acordo com dados dessazonalizados, interrompendo uma sequência de quatro trimestres de crescimentos consecutivos. Na comparação com…

Consumidores com aumentos frequentes em operações de crédito são mais propensos à inadimplência

Demanda por Crédito do Consumidor cai 24,4% em abril

A Demanda por Crédito do Consumidor recuou 24,4% em abril na comparação com março, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. No acumulado do ano o indicador caiu 11,7% contra o mesmo período do ano passado. Já no acumulado em 12 meses, o indicador passou para o campo negativo…

PNADC: Taxa de desemprego atinge 12,6% em abril

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE, a taxa de desemprego avançou para 12,6% no trimestre móvel encerrado em abril. Estando 0,4 p.p. acima do registrado no mês anterior e 0,1 p.p. maior em relação ao mesmo período do ano passado (12,5%). Em termos absolutos, a população desocupada…