OGX: começa a via crucis dos credores

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

A morte longamente anunciada ocorreu ontem: a OGX entrou com pedido de recuperação judicial na Justiça do Rio de Janeiro. Sérgio Bermudes, experiente concursista, será o advogado da empresa postulante. O procedimento se inicia com o levantamento da dívida integral, algo que ainda se desconhece no detalhe, embora tenha sido publicado o valor de R$ 11,2 bilhões, dos quais aproximadamente 60% seriam devidos aos credores no exterior, o que complica o andamento do processo. Uma vez apresentada a proposta de renegociação, esta deverá ser submetida a um comitê de credores. O juiz também deverá decidir se a empresa continuará a ser administrada pelos atuais controladores. Nesse meio tempo, pode se imaginar o grau de deterioração operacional a ser incorrido pela postulante à recuperação. A cada dia que passa, as chances de reposição dos valores diminuem.

Há complicações nesta recuperação que poderão conduzir a impasses sufocantes. Um deles é a possibilidade de perda das concessões ainda detidas pela petroleira. Em caso de decretação de falência, as concessões serão perdidas. A OGX busca compelir a Petronas, petroleira malaia, que chegou a se aproximar do grupo com vistas a desenvolver a produção do campo de Tubarão Martelo, com o objetivo de fazer esta última desembolsar recursos supostamente prometidos para tal exploração. Óbvio que este caminho se afigura o pior possível. A Petronas se defenderá e, quanto mais compelida, mais se afastará do imbróglio. No cenário mais provável, os minoritários perderão maciçamente, ainda que lutando por direitos, tanto na Justiça como perante a CVM. Os credores, para recuperar alguma coisa, dependem da continuidade do negócio, cuja evolução dependeria de um novo administrador prontamente nomeado, o que não deve acontecer. A imagem empresarial e institucional do Brasil sai mais do que arranhada. O País permitiu que o governo “elegesse” Eike como seu totem empresarial e, agora, temos um ídolo caído. Por meio da contribuição das empresas X, o Brasil finalmente entrou na crise de 2008. Este episódio será lembrado como nosso Lehman Brothers.

Ed.304


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Reabertura com crédito

A flexibilização do comércio em diferentes regiões do Brasil traz incertezas na decisão de concessão de crédito. Diante deste cenário, a Boa Vista identificou um movimento de aceleração da adoção ao Cadastro Positivo pelas pequenas, médias e grandes empresas. Desde o início da pandemia, já somam mais de um milhão de consultas às soluções da…

IPCA avança 0,36% em julho, sendo o maior resultado para um mês de julho desde 2016

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou 0,36% no mês de julho. No acumulado em 12 meses houve evolução para 2,31%, 0,18 p.p. acima da variação observada em junho.  Com esse resultado, o indicador acumulou alta de 0,46% no ano. O grupo Transportes (0,78%) foi o que registrou maior impacto positivo sobre o…

Pedidos de falência recuam 12,6% em julho

Os pedidos de falência caíram 12,6% em julho, na comparação com junho, segundo dados com abrangência nacional da Boa Vista. Mantida a base de comparação, os pedidos de recuperação judicial e as recuperações judiciais deferidas diminuíram 37,6% e 37,9%, respectivamente. Por outro lado, as falências decretadas registraram alta de 16,8% na variação mensal. Na análise…