PNAD: Desemprego encerra 2015 com 9,0%

De acordo com o IBGE, a taxa de desemprego para 2015 ficou em 9,0%, 2,5 p.p. aos valores encerrados em 2014. Este é o maior valor para desocupação desde o início da série histórica, iniciada em março de 2012. Na comparação mensal, a aferição[1] ficou estável com relação aos dados divulgados sobre novembro. Com isso, a número de pessoas desempregadas atinge cerca de 9 milhões de trabalhadores, com elevação de 40% frente ao resultado do ano anterior.

O nível de ocupação caiu de forma mais significativa no setor de serviços, com 8,7% na comparação interanual (comparação contra o mesmo período do ano anterior). Em termos de formalização do mercado de trabalho, a queda ocupação no mercado privado de trabalho sem carteira assinada foi mais significativa: 4,3% contra 3,0% vivenciado no mercado formal. Já nos tipos de emprego, os trabalhadores esporádicos (auxiliares familiares, que complementam a renda familiar) sofreram a queda mais significante, com 10,9%.

O rendimento habitual real, por sua vez, em dezembro foi registrou uma média de  R$1.913, valor 2% inferior em termos interanuais. Ainda assim, nos valores acumulados no ano, a renda permaneceu praticamente estável com relação aos ganhos aferidos ao longo de 2014.

Em suma, a queda do consumo e a busca de redução de custos têm gerado aumento das demissões por parte das empresas. Por outro lado, as famílias estão à procura de complementos na renda, o que por sua vez aumenta a parcela da população em busca de emprego. Tendo em vista a continuidade deste cenário, estimamos que a taxa de desemprego medida pela PNAD alcance taxa próxima pouco superior ao de 2015, com 10,5% no encerramento deste ano.

Sem título

[1] Os indicadores da PNAD do IBGE trabalham com o conceito de trimestre móvel, sendo o mês de referência o último disponível para análise, que é neste caso dezembro de 2015.

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…