76% dos consumidores consideram importante orientar as crianças sobre como lidar com o dinheiro, diz Boa Vista SCPC

Pesquisa para o Dia das Crianças revela também que 60% dos consumidores aprenderam sozinhos a controlar seus gastos

 

Os consumidores consideram importante a educação financeira das crianças. Pesquisa nacional realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) para mapear hábitos de consumo para o Dia das Crianças e a educação financeira na infância revelou que 76% dos consumidores acreditam que é muito importante orientar as crianças sobre como lidar com o dinheiro. 20% consideram importante e apenas 4% acham esse assunto indiferente, pouco importante ou nada importante.

Dos entrevistados, todos adultos, 60% aprenderam sozinhos a lidar com o dinheiro, 18% com os pais, 10% em livros, sites e materiais na internet, 9% com outras pessoas ou parentes e apenas 3% declaram que aprenderam na escola.

A pesquisa também apontou que 75% dos entrevistados concordam que educar financeiramente uma criança é capacitá-la para fazer o melhor uso do dinheiro e que esse tipo de ensinamento deve partir da própria família. Outros 36% concordam que a educação financeira de crianças deve ser um papel das escolas.

tabela1


Controle financeiro

No que se refere a controle financeiro, 75% dos consumidores revelaram que o fazem. As classes sociais D e E são as que apresentam o menor percentual de consumidores que fazem algum controle dos gastos (70%), contra 83% da classe C e 89% da classe A e B. Outro destaque é que 93% dos consumidores já passaram por algum tipo de dificuldade financeira.

Questionados sobre o hábito de dar mesada aos filhos, 68% disseram que não possuem esse hábito. E dos 32% que oferecem mesada aos filhos, 46% o fazem para estimular a educação financeira na fase infantil, enquanto 28% para prover alimentação ou lanches e 19% como forma de recompensa do comportamento. Dos que oferecem mesada aos filhos, 92% pagam em dinheiro.

Hábitos de poupar

Apenas 28% dos consumidores afirmam poupar dinheiro. Desses, 30% utilizam poupança, 15% títulos de capitalização, 12% previdência privada, 6% fundos e ações e 20% outros investimentos. As classes A e B são as que mais possuem o hábito de poupar (57%), seguidas das classes C (31%) e D / E (23%). Na classe C a poupança é utilizada por 35% dos consumidores e nas classes D e E por 40%. Na comparação entre regiões, 50% dos consumidores do Norte fazem uso da poupança para guardar suas economias, 40% no Nordeste e Centro-Oeste, 39% no Sul e apenas 34% no Sudeste.

Na condição de poupar dinheiro para os filhos, 46% dos consumidores declaram que possuem esse hábito.

Colocada a hipótese de uma situação de emergência, se estes consumidores utilizariam os recursos guardados para os filhos, 62% disseram que utilizariam e 38% recorreriam a outras fontes.

Para 63% dos consumidores que poupam para os filhos, a principal finalidade da aplicação é ajudar com os estudos, faculdade ou cursos extras no futuro, 12% para ajudar com a compra da casa própria, 7% para a compra do carro zero, 4% para apoiar em algum tratamento médico ou de saúde e 14% para outras finalidades.

Metodologia

A empresa utilizou a metodologia quantitativa para realização da coleta das informações, feita por meio de pesquisa eletrônica nacional. O universo da pesquisa é representado por consumidores que buscaram informações e orientações no site Consumidor Positivo da Boa Vista SCPC – www.consumidorpositivo.com.br, entre os dias 10 a 23 de setembro de 2014. A amostra obtida foi de 794 respondentes. Para leitura geral dos resultados, deve-se considerar 95% de grau de confiança e margem de erro equivalente a 3,5%, para mais ou para menos.

O critério de classe social considera a equivalência da renda familiar mensal, com os seguintes valores: Classes A / B – acima de R$ 8.700 / Classe C – R$ 2.030 a R$ 8.700 / Classes D / E – até R$ 2.030.

Sobre o Portal Boa Vista Consumidor Positivo

O Portal Boa Vista Consumidor Positivo reúne ainda outros serviços gratuitos como o SOS Cheques e Documentos. Por meio dele, quando um consumidor é furtado, roubado ou tem algum documento ou folha de cheque extraviados, pode registrar um alerta on-line, que é visto por mais de 1 milhão de empresas que efetuam consultas no SCPC no momento da venda ou contratação de serviços. Esta medida simples e eficaz reduz a possibilidade de fraude em até 60%.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Boa Vista SCPC leva consulta de CPF e palestra de orientação financeira ao I Tratamento do Superendividado no Jaraguá

No I Tratamento do Superendividado na Periferia, promovido pela Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, por meio do Procon-SP e do Centro de Integração da Cidadania, que acontecerá na próxima sexta-feira, dia 28 de julho, no bairro do Jaraguá, em São Paulo, a Boa Vista SCPC estará presente com uma série de serviços…

Demanda por Crédito do Consumidor cai 0,7% no 1º semestre, segundo Boa Vista SCPC

A Demanda por Crédito do Consumidor caiu 0,7% no 1º semestre de 2017, em comparação ao 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação interanual, junho apresentou estabilidade nos dados, enquanto nos valores acumulados em 12 meses (julho de 2016 até junho…

Movimento do Comércio cai 3,2% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, caiu 3,2% no acumulado no ano (1º semestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12…