76% dos consumidores consideram importante orientar as crianças sobre como lidar com o dinheiro, diz Boa Vista SCPC

Pesquisa para o Dia das Crianças revela também que 60% dos consumidores aprenderam sozinhos a controlar seus gastos

 

Os consumidores consideram importante a educação financeira das crianças. Pesquisa nacional realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) para mapear hábitos de consumo para o Dia das Crianças e a educação financeira na infância revelou que 76% dos consumidores acreditam que é muito importante orientar as crianças sobre como lidar com o dinheiro. 20% consideram importante e apenas 4% acham esse assunto indiferente, pouco importante ou nada importante.

Dos entrevistados, todos adultos, 60% aprenderam sozinhos a lidar com o dinheiro, 18% com os pais, 10% em livros, sites e materiais na internet, 9% com outras pessoas ou parentes e apenas 3% declaram que aprenderam na escola.

A pesquisa também apontou que 75% dos entrevistados concordam que educar financeiramente uma criança é capacitá-la para fazer o melhor uso do dinheiro e que esse tipo de ensinamento deve partir da própria família. Outros 36% concordam que a educação financeira de crianças deve ser um papel das escolas.

tabela1


Controle financeiro

No que se refere a controle financeiro, 75% dos consumidores revelaram que o fazem. As classes sociais D e E são as que apresentam o menor percentual de consumidores que fazem algum controle dos gastos (70%), contra 83% da classe C e 89% da classe A e B. Outro destaque é que 93% dos consumidores já passaram por algum tipo de dificuldade financeira.

Questionados sobre o hábito de dar mesada aos filhos, 68% disseram que não possuem esse hábito. E dos 32% que oferecem mesada aos filhos, 46% o fazem para estimular a educação financeira na fase infantil, enquanto 28% para prover alimentação ou lanches e 19% como forma de recompensa do comportamento. Dos que oferecem mesada aos filhos, 92% pagam em dinheiro.

Hábitos de poupar

Apenas 28% dos consumidores afirmam poupar dinheiro. Desses, 30% utilizam poupança, 15% títulos de capitalização, 12% previdência privada, 6% fundos e ações e 20% outros investimentos. As classes A e B são as que mais possuem o hábito de poupar (57%), seguidas das classes C (31%) e D / E (23%). Na classe C a poupança é utilizada por 35% dos consumidores e nas classes D e E por 40%. Na comparação entre regiões, 50% dos consumidores do Norte fazem uso da poupança para guardar suas economias, 40% no Nordeste e Centro-Oeste, 39% no Sul e apenas 34% no Sudeste.

Na condição de poupar dinheiro para os filhos, 46% dos consumidores declaram que possuem esse hábito.

Colocada a hipótese de uma situação de emergência, se estes consumidores utilizariam os recursos guardados para os filhos, 62% disseram que utilizariam e 38% recorreriam a outras fontes.

Para 63% dos consumidores que poupam para os filhos, a principal finalidade da aplicação é ajudar com os estudos, faculdade ou cursos extras no futuro, 12% para ajudar com a compra da casa própria, 7% para a compra do carro zero, 4% para apoiar em algum tratamento médico ou de saúde e 14% para outras finalidades.

Metodologia

A empresa utilizou a metodologia quantitativa para realização da coleta das informações, feita por meio de pesquisa eletrônica nacional. O universo da pesquisa é representado por consumidores que buscaram informações e orientações no site Consumidor Positivo da Boa Vista SCPC – www.consumidorpositivo.com.br, entre os dias 10 a 23 de setembro de 2014. A amostra obtida foi de 794 respondentes. Para leitura geral dos resultados, deve-se considerar 95% de grau de confiança e margem de erro equivalente a 3,5%, para mais ou para menos.

O critério de classe social considera a equivalência da renda familiar mensal, com os seguintes valores: Classes A / B – acima de R$ 8.700 / Classe C – R$ 2.030 a R$ 8.700 / Classes D / E – até R$ 2.030.

Sobre o Portal Boa Vista Consumidor Positivo

O Portal Boa Vista Consumidor Positivo reúne ainda outros serviços gratuitos como o SOS Cheques e Documentos. Por meio dele, quando um consumidor é furtado, roubado ou tem algum documento ou folha de cheque extraviados, pode registrar um alerta on-line, que é visto por mais de 1 milhão de empresas que efetuam consultas no SCPC no momento da venda ou contratação de serviços. Esta medida simples e eficaz reduz a possibilidade de fraude em até 60%.

Comentários

comentários