85% dos consumidores da classe C controlam orçamento e nível de endividamento, revela pesquisa

Levantamento inédito da Boa Vista SCPC em parceria com o programa Finanças Práticas mostra um consumidor mais consciente e atento ao seu nível de endividamento

Uma pesquisa inédita da Boa Vista SCPC em parceria com o programa Finanças Práticas revelou que 85% dos consumidores da classe C entrevistados têm o costume de controlar o quanto ganham e gastam no mês. O levantamento eletrônico realizado com mil consumidores em todo o Brasil buscou mapear a classe C em seus hábitos de consumo e controle das finanças.

Dentro desse universo da classe C, 79% avaliam o quanto do orçamento já está comprometido até o pagamento da última parcela, antes de efetuarem uma nova dívida, 94% realizam pesquisa de preço antes de uma compra, e 72% levam em consideração se o valor da parcela caberá no orçamento.

Conscientes em relação às compras, 57% afirmam que as ofertas não influenciam de forma determinante na aquisição de um bem ou produto, além do planejado. Dos respondentes, 67% costumam ler tabloides e folhetos de lojas e supermercados em busca de ofertas, e declaram que a maior parte dos produtos adquiridos é decorrente de promoções, 83% preferem qualidade a preço, e 69% optam por lojas com variedades, mesmo que tenham que se deslocar para isso. “Esses comportamentos revelam que a maioria dos consumidores vem usando as informações e promoções a seu favor, e não consumindo por ímpeto, arriscando o controle de seu orçamento e a sua reputação no crédito”, analisa o presidente da Boa Vista SCPC, Dorival Dourado.

gr1

Na autopercepção sobre os hábitos de consumo, 54% da classe C declaram-se equilibrados, 12% econômicos e 27% consumistas. As mulheres e os consumidores sem filhos são os que se declaram mais consumistas, com 35% e 29% das menções, respectivamente.

“Os consumidores estão cada dia mais atentos ao seu orçamento e à importância de cultivar hábitos financeiros saudáveis. O programa de educação finaceira da Visa, o Finanças Práticas, vai ao encontro desta necessidade, trazendo conteúdo relevante com uma linguagem simples e direta, e consequetemente ajudando o consumidor a se organizar melhor”, explica Rogério Signorini, diretor sênior de Produtos da Visa do Brasil.

Para o diretor de Sustentabilidade da Boa Vista SCPC, Fernando Cosenza, “a pesquisa revela um amadurecimento do consumidor, preocupado com planejamento e controle dos gastos, o que pode ser um reflexo, entre outras coisas, dos picos de inadimplência registrados em anos anteriores. Assim, o consumidor que nos últimos cinco anos passou a ter mais acesso ao crédito e descontrolou-se, está aprendendo gradativamente que o crédito é bom, se usado com disciplina e controle”.

gr2

 

Questionados sobre as taxas de juros cobradas nos parcelamentos, 58% dos respondentes da pesquisa afirmam ter conhecimento disso em cada compra, e 66% consideram mais importante a taxa de juros do que o valor da parcela (34%). A pechincha, antes de comprar um produto ou bem, continua em alta: 80% possuem esse hábito.

Compartilhar informações de gastos pessoais com familiares é importante para 86% dos pesquisados. Quando precisam parcelar alguma compra, 77% optam pelo menor número de parcelas, e quando não possuem dinheiro para aquisição à vista de um produto, 54% preferem efetuar a compra no mês seguinte.

“Segundo o levantamento, 55% dos consumidores buscam informações sobre como controlar os gastos e receitas em sites e materiais disponíveis na Internet, reforçando a estratégia da Boa Vista SCPC e Finanças Práticas em continuar investindo em ferramentais digitais gratuitas e de qualidade”, finaliza Signorini.

Nota metodológica

Os dados da pesquisa “Hábitos do Consumidor da Classe C” foram obtidos por meio de um levantamento eletrônico realizado pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), em parceria com o programa Finanças Práticas, de 1º a 27 de outubro de 2014, com 1.000 consumidores da classe C, usuários do site Consumidor Positivo www.consumidorpositivo.com.br. Para leitura geral dos resultados, deve-se considerar 95% de grau de confiança e margem de erro de 3%, para mais ou para menos.

Para determinação da classe social, foi utilizado o Critério FGV 2012, que considera consumidores com rendimento familiar mensal entre R$ 2.030,00 a R$ 8.700,00 como pertencentes à Classe Média ou Classe C.

 

Acesse a pesquisa na íntegra:
http://www.boavistaservicos.com.br/wp-content/uploads/2015/01/pesquisa-habitos-classec-jan15.pdf

 

Comentários

comentários