Boa Vista Serviços: Pedidos de falência crescem em 2012, após dois anos de queda

O número de falências decretadas também cresceu. É a primeira que este fato ocorre desde a implantação da Nova Lei de Falências em 2005

Boa Vista – pedidos de falência crescem em 2012, após dois anos de queda

Dados da Boa Vista Serviços, com abrangência nacional, mostram que o número de pedidos de falência aumentou 6,6% em dezembro na comparação com novembro de 2012. No ano, no entanto, o número de pedidos de falência acumulou crescimento de 15,1% contra o mesmo período de 2011. Em relação ao mesmo mês de 2011, os pedidos de falência cresceram 21,7%.

Falências Decretadas

As falências decretadas, por sua vez, recuaram 32,8% em dezembro em comparação com novembro, mas acumulam crescimento de 8,3% no ano. Sobre dezembro de 2011 o número de falências decretadas cresceu 2,5%. É a primeira vez desde a implantação da Nova Lei de Falências (2005) que o número de falências decretadas no ano supera os decretos do ano anterior.

Recuperação Judicial

Os pedidos de recuperação judicial e o deferimento dos pedidos de recuperação apresentaram forte alta em 2012 na comparação com 2011.

Depois de duas quedas anuais consecutivas, em 2010 e 2011, os pedidos de falência voltaram a subir em 2012. A última vez em que houve aumento nos pedidos de falência foi em 2009, no contexto da crise econômica.

Em 2012, os efeitos foram provocados pela desaceleração recente da economia, aliado ao aumento da inadimplência de pessoas físicas e jurídicas e à maior seletividade no nível de concessão de crédito pelos agentes financeiros, pressionando o caixa das empresas e elevando os pedidos de falência e recuperação judicial no período.

Falências e recuperações judiciais por porte das empresas

As micro e pequenas empresas, por exemplo, representam cerca de 82% dos pedidos de falências e 95% das falências decretadas. Utilizamos para a classificação de porte de empresa aquela adotada pelo BNDES e aplicável a todos os setores da economia[1].

Falências e recuperações judiciais por Setor

Na divisão por setor da economia, a indústria contribuiu para o maior número nos pedidos de falência em 2012, com 36% dos casos, seguida dos serviços (33%) e do comércio (30%).

Quando observamos separadamente os setores por porte das empresas, percebemos que os pedidos de falência nas micro e pequenas empresas foram maiores nos serviços (35%), enquanto que para as médias e grandes empresas prevaleceram os pedidos de falência na indústria (57%).


[1] A CIRCULAR Nº 11/2010 do BNDES de 05 de março de 2010 classifica as categorias de porte das empresas de acordo com a receita operacional bruta anualizada. Microempresa – menor ou igual a R$ 2,4 milhões; Pequena empresa – maior que R$ 2,4 milhões e menor ou igual a R$ 16 milhões; Média empresa – maior que R$ 16 milhões e menor ou igual a R$ 90 milhões; Média-grande empresa – maior que R$ 90 milhões e menor ou igual a R$ 300 milhões; Grande empresa – maior que R$ 300 milhões.

 

Comentários

comentários

Posts relacionados

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…

Número de novas empresas sobe 5,1% no 3º trimestre

No 3º trimestre de 2017 o número de novas empresas cresceu 5,1% em relação ao trimestre anterior, segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Desta forma, os valores acumulados no ano (janeiro a setembro), quando comparados ao mesmo período do ano anterior, mantiveram-se positivos, passando de um…

Vendas para o dia das crianças sobem 2,7% em 2017

Dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) mostram que em 2017 as vendas do comércio para o dia das crianças aumentaram 2,7% quando comparadas aos resultados de 2016. Dessa forma, o indicador para data comemorativa tornou a subir após 2 anos consecutivos de queda, quando variou -4,2% em 2016 e -3,4%…