Em 8 meses, títulos protestados acumulam alta de 26,9%, diz Boa Vista SCPC

O número total de títulos protestados no país registrou alta de 26,9% no acumulado do ano (janeiro a agosto de 2015) na comparação com o mesmo período de 2014, de acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Mantida a base de comparação, tanto os protestos de empresas quanto os de consumidores seguem a mesma tendência, 21,5% e 35,2%, respectivamente.

Na comparação interanual (agosto de 2015 contra agosto de 2014), os títulos protestados subiram 40,2%. Separando-os por consumidores e empresas os resultados foram de 60,8% e 28,4%, respectivamente.

Em relação ao mês anterior (agosto contra julho), o número de títulos protestados recuou 6,3%. Para as empresas a queda foi mais intensa (-10,2%), enquanto que para os consumidores a redução foi mais amena (-0,2%).

O valor médio dos títulos protestados para o mês de agosto de 2015 foi de R$ 3.900, sendo R$ 2.080 para pessoas físicas e R$ 5.203 para as pessoas jurídicas. A tabela 1 mostra os dados citados.

Tabela 1 – Variação Títulos Protestados

 

Jan-Ago 2015/2014

Ago 2015/

Ago 2014

Ago 2015/

Jul 2015

Valor médio

(R$)

Pessoa Física

35,2%

60,8%

-0,2%

2.080

Pessoa Jurídica

21,5%

28,4%

-10,2%

5.203

TOTAL

26,9%

40,2%

-6,3%

3.900

 Fonte: Boa Vista SCPC

 

Títulos protestados de empresas por regiões

Em agosto de 2015, os títulos protestados de empresas representaram aproximadamente 60% do total dos protestos no país. A região Sudeste contribuiu com a maior parcela dos títulos protestados (51,6%), seguida das regiões Sul (23,7%), Nordeste (11,8%), Centro-Oeste (8,6%) e Norte (4,3%).

No acumulado de 2015, todas as regiões seguem tendência de alta, com destaque para o Sudeste que obteve a maior crescimento, de 28,4%. Na comparação interanual, as regiões registraram valores bem superiores aos do ano passado, com exceção do Nordeste que aumentou apenas 7,2%.

O maior valor médio dos títulos protestados em agosto de 2015 foi na região Centro-Oeste (R$6.486), ante uma média nacional para pessoa jurídica de R$ 5.203. A tabela 2 mostra as variações nos protestos de títulos para as pessoas jurídicas entre as regiões do país para os diferentes períodos.

 

Tabela 2 – Variações nos Protestos de Títulos PJ – Regiões

Região

Variação no acumulado do ano

Variação sobre o mesmo mês do ano anterior

Variação sobre o mês anterior

Valor médio (R$)

Norte

16,1%

19,7%

-24,9%

4.211

Nordeste

5,4%

7,2%

-5,8%

4.110

Sul

18,5%

22,0%

-10,0%

3.741

Sudeste

28,4%

41,7%

-8,5%

5.993

Centro-Oeste

21,6%

15,1%

-17,4%

6.486

Brasil

21,5%

28,4%

-10,2%

5.203

Período

Jan-Ago  2015/2014

Ago 2015/

Ago 2014

Ago 2015/

Jul 2015

Agosto 2015

Fonte: Boa Vista SCPC

 

Nota metodológica

O indicador de títulos protestados mostra a evolução da quantidade de registros de débitos decorrentes de protestos de títulos, informados por cartórios de protestos no referido mês.

A série histórica deste indicador inicia em 2006 e está disponível em: http://www.boavistaservicos.com.br/economia/titulos-protestados/

Comentários

comentários

Posts relacionados

CAGED: Setembro registra sexto saldo positivo consecutivo

Segundo dados divulgados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) do Ministério do Trabalho, em setembro o saldo de vagas no mercado de trabalho (diferença entre novas contratações e demissões) foi positivo em 34,4 mil postos. Deste modo, a leitura atual contrasta quando comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram encerradas 39,3…

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…