Títulos protestados acumulam aumento de 9,1% no 1º semestre de 2014, diz Boa Vista SCPC

O número total de títulos protestados encerrou o 1º semestre de 2014 com aumento de 9,1%, em relação ao mesmo período de 2013, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na separação entre protestos de títulos de pessoa jurídica e de pessoa física, houve crescimento de 5,9% para os de empresas e de 14,9% para os de consumidores.

Na comparação mensal (junho contra maio de 2014), o número de títulos protestados recuou 23,4%, somando-se os protestos de pessoas físicas e jurídicas. Para as empresas a queda foi de 23,2% e de 23,6% para as pessoas físicas.

Na comparação com junho de 2013, as variações também foram negativas. Os títulos protestados para as pessoas físicas diminuíram 7,8% e 6,3% para as pessoas jurídicas, totalizando um recuo de 6,9%.

O valor médio dos títulos protestados para o mês de junho de 2014 foi de R$ 3.222. Para as pessoas físicas o valor correspondeu a R$ 1.989 e R$ 3.957 para as pessoas jurídicas. A tabela 1 mostra os dados citados.

tabela1

Títulos protestados de empresas por regiões

Em junho de 2014, os títulos protestados de empresas representaram aproximadamente 60% do total dos protestos no país. A região Sudeste contribuiu com a maior parcela dos títulos protestados (47,6%), seguida das regiões Sul (24,4%), Nordeste (13,9%), Centro-Oeste (9,4%) e Norte (4,7%).

No 1º semestre de 2014 contra o mesmo período de 2013, todas as regiões apresentaram aumento, destacando-se a região Norte com a maior variação (13,9%) e a região Nordeste com a menor alta (3,5%).

Na comparação de junho de 2014 em relação ao mesmo mês de 2013, apenas o Centro-Oeste apresentou alta (2,7%), as demais regiões recuaram: Norte (-8,4%), Sudeste (-7,8%), Sul (-7,3%) e Nordeste (-4,1%).

Na comparação mensal, a região Norte apresentou a maior queda (-28,6%), enquanto o Centro-Oeste o menor recuo (-20,8%).

O maior valor médio dos títulos protestados em junho foi na região Sudeste (R$4.783), ante uma média nacional para pessoa jurídica de R$ 3.957. A tabela 2 mostra as variações nos protestos de títulos para as pessoas jurídicas entre as regiões do país para os diferentes períodos.
tabela2

Nota metodológica

O indicador de títulos protestados mostra a evolução da quantidade de anotações negativas referentes a protestos de títulos, informados por cartórios de protestos no referido mês.

 

Comentários

comentários