Títulos protestados acumulam aumento de 9,1% no 1º semestre de 2014, diz Boa Vista SCPC

O número total de títulos protestados encerrou o 1º semestre de 2014 com aumento de 9,1%, em relação ao mesmo período de 2013, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na separação entre protestos de títulos de pessoa jurídica e de pessoa física, houve crescimento de 5,9% para os de empresas e de 14,9% para os de consumidores.

Na comparação mensal (junho contra maio de 2014), o número de títulos protestados recuou 23,4%, somando-se os protestos de pessoas físicas e jurídicas. Para as empresas a queda foi de 23,2% e de 23,6% para as pessoas físicas.

Na comparação com junho de 2013, as variações também foram negativas. Os títulos protestados para as pessoas físicas diminuíram 7,8% e 6,3% para as pessoas jurídicas, totalizando um recuo de 6,9%.

O valor médio dos títulos protestados para o mês de junho de 2014 foi de R$ 3.222. Para as pessoas físicas o valor correspondeu a R$ 1.989 e R$ 3.957 para as pessoas jurídicas. A tabela 1 mostra os dados citados.

tabela1

Títulos protestados de empresas por regiões

Em junho de 2014, os títulos protestados de empresas representaram aproximadamente 60% do total dos protestos no país. A região Sudeste contribuiu com a maior parcela dos títulos protestados (47,6%), seguida das regiões Sul (24,4%), Nordeste (13,9%), Centro-Oeste (9,4%) e Norte (4,7%).

No 1º semestre de 2014 contra o mesmo período de 2013, todas as regiões apresentaram aumento, destacando-se a região Norte com a maior variação (13,9%) e a região Nordeste com a menor alta (3,5%).

Na comparação de junho de 2014 em relação ao mesmo mês de 2013, apenas o Centro-Oeste apresentou alta (2,7%), as demais regiões recuaram: Norte (-8,4%), Sudeste (-7,8%), Sul (-7,3%) e Nordeste (-4,1%).

Na comparação mensal, a região Norte apresentou a maior queda (-28,6%), enquanto o Centro-Oeste o menor recuo (-20,8%).

O maior valor médio dos títulos protestados em junho foi na região Sudeste (R$4.783), ante uma média nacional para pessoa jurídica de R$ 3.957. A tabela 2 mostra as variações nos protestos de títulos para as pessoas jurídicas entre as regiões do país para os diferentes períodos.
tabela2

Nota metodológica

O indicador de títulos protestados mostra a evolução da quantidade de anotações negativas referentes a protestos de títulos, informados por cartórios de protestos no referido mês.

 

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…