Títulos protestados acumulam aumento de 9,1% no 1º semestre de 2014, diz Boa Vista SCPC

O número total de títulos protestados encerrou o 1º semestre de 2014 com aumento de 9,1%, em relação ao mesmo período de 2013, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na separação entre protestos de títulos de pessoa jurídica e de pessoa física, houve crescimento de 5,9% para os de empresas e de 14,9% para os de consumidores.

Na comparação mensal (junho contra maio de 2014), o número de títulos protestados recuou 23,4%, somando-se os protestos de pessoas físicas e jurídicas. Para as empresas a queda foi de 23,2% e de 23,6% para as pessoas físicas.

Na comparação com junho de 2013, as variações também foram negativas. Os títulos protestados para as pessoas físicas diminuíram 7,8% e 6,3% para as pessoas jurídicas, totalizando um recuo de 6,9%.

O valor médio dos títulos protestados para o mês de junho de 2014 foi de R$ 3.222. Para as pessoas físicas o valor correspondeu a R$ 1.989 e R$ 3.957 para as pessoas jurídicas. A tabela 1 mostra os dados citados.

tabela1

Títulos protestados de empresas por regiões

Em junho de 2014, os títulos protestados de empresas representaram aproximadamente 60% do total dos protestos no país. A região Sudeste contribuiu com a maior parcela dos títulos protestados (47,6%), seguida das regiões Sul (24,4%), Nordeste (13,9%), Centro-Oeste (9,4%) e Norte (4,7%).

No 1º semestre de 2014 contra o mesmo período de 2013, todas as regiões apresentaram aumento, destacando-se a região Norte com a maior variação (13,9%) e a região Nordeste com a menor alta (3,5%).

Na comparação de junho de 2014 em relação ao mesmo mês de 2013, apenas o Centro-Oeste apresentou alta (2,7%), as demais regiões recuaram: Norte (-8,4%), Sudeste (-7,8%), Sul (-7,3%) e Nordeste (-4,1%).

Na comparação mensal, a região Norte apresentou a maior queda (-28,6%), enquanto o Centro-Oeste o menor recuo (-20,8%).

O maior valor médio dos títulos protestados em junho foi na região Sudeste (R$4.783), ante uma média nacional para pessoa jurídica de R$ 3.957. A tabela 2 mostra as variações nos protestos de títulos para as pessoas jurídicas entre as regiões do país para os diferentes períodos.
tabela2

Nota metodológica

O indicador de títulos protestados mostra a evolução da quantidade de anotações negativas referentes a protestos de títulos, informados por cartórios de protestos no referido mês.

 

Comentários

comentários

Posts relacionados

Número de novas empresas aumentou 6,6% no 1º trimestre de 2017, segundo Boa Vista SCPC

No 1º trimestre de 2017 o número de novas empresas cresceu 6,6% em relação ao mesmo período de 2016 (análise interanual), segundo levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com abrangência nacional. Em relação ao 4º trimestre de 2016 houve aumento de 29,2%. Forma jurídica Na análise por classificação de forma…

Inadimplência das empresas inicia 2017 com queda de 0,3%, diz a Boa Vista SCPC

A inadimplência das empresas em todo o país caiu 0,3% no 1º trimestre de 2017 quando comparada ao mesmo trimestre do ano anterior, de acordo com dados da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Depois de três anos consecutivos de alta do indicador na comparação interanual (1º tri de 2017 contra o…

Boa Vista SCPC: inadimplência do consumidor paulistano caiu 4,3% no 1º trimestre

A inadimplência do consumidor na cidade de São Paulo teve queda de 4,3% no acumulado do ano (1º trimestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados da Boa Vista SCPC. Na comparação interanual (março-17 contra março-16), a inadimplência retraiu 8,4%. Contra o mês anterior (março-17 contra fevereiro-17) houve…