Consumidor está mais otimista com as dívidas, diz Boa Vista SCPC

Pesquisa constatou que 48% dos entrevistados estão com até 25% da renda familiar comprometida com o pagamento de dívidas, índice 7 pontos percentuais acima do registrado no trimestre anterior

Os consumidores estão mais otimistas em relação a suas dívidas, de acordo com a Pesquisa Perfil do Inadimplente realizada pela Boa Vista SCPC, referente ao 3º. Trimestre de 2014. A pesquisa mostrou queda de 22% para 16% na fatia dos que consideram que sua situação financeira piorou no trimestre, enquanto 41% afirmaram que a situação está melhor. A grande maioria (93%) está otimista também em relação aos próximos 12 meses, porcentagem mais alta registrada nas 12 pesquisas realizadas. A percepção de melhoria e otimismo por parte do consumidor surpreende em um contexto de relativa instabilidade, de piora de desaquecimento do mercado de trabalho e de menor concessão de crédito.

Segundo o levantamento, 25% dos entrevistados disseram que suas dívidas diminuíram e 40% afirmaram que o nível de endividamento está igual.

A maior fatia (78%) dos que têm restrição ao nome acredita que poderá pagar o valor total das contas sem necessidade de renegociar o valor devido, enquanto 22% irão pagar parte do valor. E os consumidores estão com pressa: 66% planejam quitar suas dívidas nos próximos 30 dias, 7 pontos percentuais acima do levantamento anterior.

O levantamento constatou que 48% dos entrevistados estão com até 25% da renda familiar comprometida com o pagamento de dívidas, índice 7 pontos percentuais acima do registrado no trimestre anterior. Já a fatia dos que estão com mais de 50% da renda atrelada a dívidas recuou para 19%, em comparação aos 26% do 2º trimestre.

Quanto ao valor das dívidas, 33% dos consumidores disseram que a soma das dívidas em atraso é de até R$ 500, enquanto 34% têm endividamento entre R$ 500,01 e R$ 4.000 e 33% devem acima de R$ 4.000. A forma de pagamento que mais levou à inadimplência foi o carnê/boletos, com 31%, e logo após veio o cartão de crédito, com 29%.

A compra de móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos motivou a inadimplência para 20% dos entrevistados na pesquisa da Boa Vista SCPC. Em seguida vieram vestuário e calçados, com 18%, e alimentação (17%).

A principal causa da inadimplência, segundo os consumidores, foi o desemprego, com 29%, seguido pelo descontrole financeiro, com 20%, cobrança indevida (16%) e empréstimo do nome a terceiros (12%).

Seja qual for o motivo que levou à inadimplência, a maior parte dos entrevistados (45%) afirma que apenas uma conta gerou a restrição ao nome, enquanto 37% têm de duas a três contas e 18% disseram que a causa foram quatro contas ou mais não pagas.

Nota metodológica

A Pesquisa do Perfil do Inadimplente é realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Quantitativa, é aplicada trimestralmente com consumidores inadimplentes (aqueles que têm alguma dívida vencida e não paga registrada no SCPC) que buscaram orientação no balcão do SCPC. As entrevistas foram feitas presencialmente de 26 de agosto a 03 de setembro de 2014, com 1.013 consumidores. Os resultados devem ser lidos considerando-se 95% de grau de confiança e margem de erro de cerca de 3%.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…