Para BC, atividade econômica inicia o ano com avanço de 0,24%

Em 12 meses o indicador acumula alta de 0,86%

De acordo com o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) avançou 0,24% em janeiro na comparação mensal, de acordo com dados dessazonalizados. Com relação ao mesmo mês do ano passado houve alta de 0,69%. Na comparação acumulada em 12 meses o indicador apresentou leve desaceleração e registrou variação de 0,86%.

Após encerrar 2019 com crescimento pelo terceiro ano consecutivo, em janeiro o indicador apresentou resultado positivo em linha com as expectativas de mercado para o mês. A variação mensal resultou da tendência apontada pelas demais pesquisas dos setores de atividade econômica divulgadas pelo IBGE: Pesquisa Industrial Mensal e Pesquisa Mensal de Serviços apresentaram avanço de 0,9% e 0,6% no período, respectivamente. Enquanto, por outro lado, a Pesquisa Mensal do Comércio cedeu 1% mantida a base de comparação.

Os dados do IBC-BR reforçam o cenário de tímida recuperação da atividade econômica do país nos últimos meses. Contudo, as adversidades provocadas com a chegada do novo coronavírus e pelo isolamento social a partir de março sugerem uma mudança de tendência para o indicador ao longo de 2020, com a possibilidade de desaceleração nos principais setores da economia.

[1] O IBC-BR é considerado o indicador antecedente do PIB


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Pedidos de seguro-desemprego recuam 32% em junho na comparação mensal

O Ministério da Economia divulgou ontem os dados referentes ao movimento dos pedidos de seguro-desemprego. Em junho, o número de requerimentos ao seguro–desemprego foi 32% menor em relação ao mês anterior, contabilizando cerca de 653.160 pedidos na modalidade trabalhador formal. Já na comparação com junho do ano passado houve alta de 28,4%, registrando o quarto…

IPCA avança 0,26% em junho, após dois meses de deflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)[1] avançou 0,26% no mês de junho. No acumulado em 12 meses houve evolução para 2,13%, 0,25 p.p. acima da variação observada em maio.  Com esse resultado, o indicador acumulou baixa de 0,11% no ano. O grupo Alimentação e bebidas (0,38%) foi o que registrou maior impacto…

Volume de serviços recua 0,9% em maio

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE divulgada hoje, o volume do setor de serviços recuo 0,9% na comparação com o mês anterior (dados dessazonalizados). Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o indicador contraiu 19,4%. Com isto, o setor acumula baixa de 2,7% na análise em 12 meses. Nos resultados mensais…