PNAD: Taxa de desemprego encerra o ano em 11,6%

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC), a taxa de desemprego caiu para 11,6% no trimestre móvel encerrado em dezembro de 2018. O resultado ficou 0,3 p.p. abaixo do registrado no trimestre de julho a setembro e 0,2 p.p. abaixo do mesmo período de 2017.

Em termos absolutos, a população desocupada totalizou 12,2 milhões (redução de 2,4% em relação ao trimestre anterior e queda de 0,9% na comparação com o último trimestre de 2017).

A população ocupada (PO) subiu 0,4% na comparação trimestral e 1,0% em relação ao mesmo período do ano anterior. Destacaram-se no trimestre os crescimentos nas posições “conta própria” (1,5%) e “empregador” (2,3%).

Ainda na comparação trimestral, as principais evoluções ocorreram em ocupações nos setores de Comércio (1,5%), Serviços (1,9%) e Transportes (3,4%). No sentido contrário, os setores de Agricultura e Indústria registraram queda no período, de 3,5% e 0,5%, respectivamente.

A População Economicamente Ativa (PEA) apresentou crescimento no trimestre (0,1%) e ampliou-se em 0,7% em relação ao mesmo período de 2017.

O rendimento médio habitual cresceu 0,6% ao longo de 2018.

O resultado de dezembro confirma a avaliação de que o mercado de trabalho segue bastante fragilizado, refletindo o ritmo fraco de recuperação da atividade e as incertezas ao longo de 2018. Para 2019, dado que as expectativas para o desempenho da economia seguem mais otimistas, a tendência é que o mercado de trabalho continue com sua recuperação, ainda que de forma lenta.

Posts relacionados

Movimento do Comércio cresce 1,0% em janeiro

O Indicador do Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, avançou 1,0% em janeiro na comparação mensal dessazonalizada, de acordo com dados apurados pela Boa Vista. Na avaliação acumulada em 12 meses, o indicador subiu 1,3%. Já na variação contra janeiro do ano anterior o varejo cresceu…

Análise PMC: Black Friday antecipa vendas do Natal e varejo registra queda das vendas em dezembro

A queda da inadimplência das pessoas físicas – e, consequentemente, das taxas médias de juros ao consumidor – abriu espaço para o crescimento da oferta de crédito. Por outro lado, o elevado nível de desocupação e a fraca recuperação da renda – apesar da inflação baixa – ainda limitam a capacidade de endividamento e consumo…

Boa Vista: Recuperação de crédito cai 0,6% no acumulado em 12 meses

13 de fevereiro de 2019 – O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista – registrou queda de 0,6% no acumulado em 12 meses (fevereiro de 2018 até janeiro de 2019 frente os 12 meses antecedentes). Em janeiro o indicador…