Vendas no varejo registram recuo de 2,5% em março

De acordo com a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada hoje pelo IBGE, o volume de vendas no Varejo restrito recuou 2,5% na comparação mensal com ajuste sazonal. No acumulado em 12 meses, o indicador cresceu 2,2%. Na comparação interanual houve queda de 1,2%.

Avaliando os segmentos na variação mensal (com ajuste sazonal), seis das oito atividades pesquisadas registraram queda em março. Os principais recuos ocorreram em Tecidos, vestuário e calçados (-42,2%), Combustíveis e lubrificantes (-11,2%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-27,4%) e Móveis e eletrodomésticos (-25,9%). Por outro lado, os segmentos que apresentaram avanço foram Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (14,6%) e Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,3%), atividades consideradas essenciais em meio a pandemia do Covid-19.

O Comércio Varejista Ampliado registrou alta de 3,3% em março na variação em 12 meses. Já na comparação mensal (dados dessazonalizados), o indicador recuou 13,7%.

Após registrar variação positiva em fevereiro, o resultado de março já aponta nitidamente os impactos da pandemia global do coronavírus. Com as medidas restritivas e de isolamento social implementadas para frear a disseminação no Covid-19 na segunda quinzena de março, o varejo foi impactado diretamente com o fechamento temporário da maioria dos seus estabelecimentos. É claramente observado que os segmentos de englobam os mercados e farmácias impediram uma queda maior no  indicador como um todo, estes que são considerados atividades essenciais durante a pandemia e apresentaram uma alta da sua demanda no período. A recuperação do varejo ainda dependerá do relaxamento das medidas restritivas e do retorno do funcionamento da economia, que ainda depende da taxa de disseminação do Covid-19  no Brasil.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Resultado do PIB revela queda de 1,5% no primeiro trimestre

Os dados do PIB do 1º trimestre, divulgados hoje pelo IBGE, reforçaram o cenário de fragilização da atividade econômica. No primeiro trimestre de 2020, o produto recuou 1,5% na comparação com os três últimos meses do ano passado, de acordo com dados dessazonalizados, interrompendo uma sequência de quatro trimestres de crescimentos consecutivos. Na comparação com…

Consumidores com aumentos frequentes em operações de crédito são mais propensos à inadimplência

Demanda por Crédito do Consumidor cai 24,4% em abril

A Demanda por Crédito do Consumidor recuou 24,4% em abril na comparação com março, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. No acumulado do ano o indicador caiu 11,7% contra o mesmo período do ano passado. Já no acumulado em 12 meses, o indicador passou para o campo negativo…

PNADC: Taxa de desemprego atinge 12,6% em abril

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE, a taxa de desemprego avançou para 12,6% no trimestre móvel encerrado em abril. Estando 0,4 p.p. acima do registrado no mês anterior e 0,1 p.p. maior em relação ao mesmo período do ano passado (12,5%). Em termos absolutos, a população desocupada…