Volume de serviços cresce 1% em 2019

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE divulgada hoje, o volume do setor de serviços recuou 0,4% em dezembro na comparação com o mês anterior (dados dessazonalizados). Em relação ao mesmo mês do ano anterior o indicador apontou alta de 1,6%. Em 2019 o setor avançou 1% em relação aos 12 meses de 2018.

 

Nos resultados mensais com ajuste sazonal, três das cinco atividades pesquisadas registraram queda em dezembro, destacando-se como principal impacto negativo a retração do grupo de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-1,5%). Por outro lado, o ramo de Outros serviços (3,4%) foi o que mais avançou no período, apontando o segundo mês seguido de alta.

No ano houve avanço em quatro das cinco atividades pesquisadas,o segmento de Serviços de informação e comunicação (3,3%) exerceu a principal influência positiva sobre o índice geral, puxado pelo aumento da receita nos segmentos de portais, provedores de conteúdo, desenvolvimento e licenciamento de programas de computador e outros. Em contrapartida, o ramo de Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-2,5%) apresentou o único impacto negativo ao índice global.

Em termos regionais, no ano houve desempenho positivo em 13 dos 27 estados. O principal impacto positivo ocorreu no São Paulo (3,3%), seguido do Amazonas (3,9%), Santa Catarina (1,2%) e Mato Grosso do Sul (3,2%). Paraná (-2,3%) e Mato Grosso (-7,1%) foram os estados que registraram as contribuições negativas mais relevantes sobre o índice nacional.

Por fim, foi observado crescimento da receita nominal de 4,5% em 2019. No mês de dezembro registrou alta de 0,3%, de acordo com dados dessazonalizados.

Os dados de dezembro, abaixo do esperado, revelam que a atividade do setor de serviços continua em recuperação, ainda que em marcha lenta. O resultado acumulado em 12 meses apresentou o maior crescimento dos últimos 5 anos, após três anos de queda e um de estabilidade.

Durante 2019 o indicador mostrou uma certa tendência positiva sobre o ritmo de retomada, entretanto ainda sujeita a fragilidade do mercado de trabalho e as incertezas econômicas. Desta forma, para 2020 espera-se que o indicador siga evoluindo de forma gradual, e um desempenho mais robusto dependerá da melhora no mercado de trabalho e evolução nos demais setores da economia.

As tabelas abaixo apresentam os principais números da PMS de novembro.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

SMS e e-mail ganham força como instrumentos para recuperar crédito

Mais intensamente desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia de Covid-19, em 11 de março, a vida de pessoas e empresas mudou drasticamente. Como o isolamento social é uma das principais armas para abaixar a curva de transmissão, os meios digitais se tornaram ainda mais importantes para conectar pessoas e para manter…

Produção Industrial cresce 0,5% em fevereiro

Dados divulgados hoje pelo IBGE revelam que a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física (PIM-PF) avançou 0,5% em fevereiro, na comparação mensal ajustada sazonalmente. Já referente ao acumulado dos últimos doze meses, a atividade industrial recuou 1,2%. No acumulado de 2020, o setor também registrou queda de 0,6% em relação ao mesmo período do ano…

pagamento de dívidas

Demanda por Crédito do Consumidor avança 0,6% em fevereiro

A Demanda por Crédito do Consumidor avançou 0,6% em fevereiro na comparação com janeiro, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. Na comparação com fevereiro de 2019, o indicador cresceu 1,8%. Já no acumulado em 12 meses, houve avanço de 2,7%. Considerando os segmentos que compõem o indicador, o…