Volume de serviços recua 11,7% em abril, maior queda desde o início da série histórica

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE divulgada hoje, o volume do setor de serviços recuou 11,7% na comparação com o mês anterior (dados dessazonalizados). Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o indicador contraiu 17,3%. Com isto, o setor acumula retração de 0,7% na análise em 12 meses.

Nos resultados mensais com ajuste sazonal, registraram recuo todas as cinco atividades analisadas. As que apresentaram destaque neste período foram o de Serviços prestados às famílias (-44,1%) e Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (-17,8%), ambos registraram os recuos mais intensos desde o início da série histórica.

Em termos regionais, houve contração mensal em 26 das 27 unidades da federação. Entre os principais resultados negativos, destaque para São Paulo (-11,6%) e Rio de Janeiro (-12,7%) que foram pressionados pelos segmentos de alojamento e alimentação. Por outro lado, o único resultado positivo veio do Mato Grosso (9,0%), pelo bom desempenho do transporte ferroviário de cargas.

Por fim, foi observado crescimento da receita nominal de 2,2% nos últimos 12 meses. No mês de abril, o indicador teve recuo de 12,9%, de acordo com dados dessazonalizados.

O resultado de abril do volume de serviços reforça os efeitos negativos da pandemia do Covid-19 e das medidas restritivas e de isolamento social iniciados em março. Já apresentando uma variação negativa em fevereiro, os serviços despencam no mês de abril e acumulam perda de 18,7% neste período. O retorno da atividade do segmento irá depender da evolução das medidas tomadas para impedir o progresso do coronavírus e do engajamento da população como um todo.

As tabelas abaixo apresentam os principais números da PMS de abril.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Confiança do Consumidor volta a apresentar queda, interrompendo cinco meses de avanço

Comentários:                                                                                                          Segundo a Fundação Getúlio Vargas, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) atingiu 82,4 pontos em outubro recuando 1,2% contra setembro, na série livre de influências sazonais. O Índice de Situação Atual (ISA) apresentou baixa de 0,3%, enquanto o de Expectativas (IE) caiu 1,4% nesta mesma base de comparação. Em relação ao mesmo…

Para BC, atividade econômica continua a apresentar queda na análise 12 meses, apesar do avanço mensal de 1,1%

Comentários:                                                                                                             …

Volume de Serviços avança 2,9% em agosto, mas acentua queda na análise em 12 meses

  Comentários:                                                                                                           …