• Segundo a Fundação Getúlio Vargas, o Índice de Confiança do Consumidor (ICC) atingiu 76,2 pontos em maio, avançando 5,1% contra abril, na série livre de influências sazonais.
  • O Índice de Situação Atual (ISA) apresentou alta de 6,5%, enquanto o de Expectativas (IE) cresceu 4,0% nesta mesma base de comparação.
  • Em relação ao mesmo período do ano passado (comparação interanual), o ICC, o ISA e o IE registraram crescimento de 20,5%, 5,8% e 29,1%, respectivamente.






Perspectivas:




  • A confiança do consumidor manteve a tendencia de alta apontada no mês de abril, puxada tanto pela alta na situação atual, quanto pelas expectativas futuras. Importante observar que os consumidores possuem patamares bastante distintos entre as diferentes classes sociais, as famílias com renda entre R$ 2.100,01 e R$ 4.800,00 recuperaram 62,4% da queda em março ao avançar 7,8 p.p. em maio. Importante observar que o crescimento de mais de 20% na confiança na comparação interanual se deve, principalmente, ao pior desempenho do indicador no início da pandemia do coronavírus, não necessariamente a uma melhora real no indicador. O avanço mensal de maio recuperou 82% da queda observada em março deste ano.
  • O cenário ainda é incerto e isso, logicamente, afeta a confiança do consumidor uma vez que o país ainda vive um momento delicado da pandemia, afetando diretamente a situação atual e o índice de expectativas. A sustentação e recuperação do indicador ainda está condicionada ao avanço consistente do programa de vacinação e a recuperação do mercado de trabalho, que ainda se encontra fragilizado como consequência da crise.