• O lucro líquido ajustado do 1º Tri de 2021, período com um recrudescimento da pandemia, cresceu 35,2% e o EBTIDA orgânico ajustado (sem considerar a aquisição de Acordo Certo) subiu 2,4% na comparação com o 1º Tri de 2020, período impactado pela pandemia apenas a partir da 2ª quinzena de março;



  • Merece destaque a continuidade do crescimento de 5,6% das receitas com Soluções Analíticas na comparação com o 1º Tri de 2020;



  • A participação das Soluções Analíticas na receita continua superior a 50% da receita líquida total, mesmo com a entrada das receitas adicionais em Serviços ao Consumidor advindas da incorporação da Acordo Certo;



  • A eficiência operacional manteve-se em crescimento. Como resultado a margem EBITDA orgânica ajustada alcançou 49,6%, acréscimo de 2,8 pontos percentuais sobre o 1º Tri de 2020. A diferença entre EBITDA ajustado e Capex orgânico total foi 37% superior ao registrado no mesmo período do ano passado;



  • A oferta de Soluções Analíticas está sendo ampliada e aprimorada pela equipe de cientistas de dados do Centro de Excelência em Analytics (CEA), “fábrica de algoritmos” inaugurada oficialmente em abril de 2021;



  • O envio ao Cadastro Positivo das informações das empresas de telecomunicações, a partir de abril, e das prestadoras de serviços de gás, energia elétrica e água, ainda este ano, também ajudarão a incrementar o número e a qualidade das Soluções Analíticas;



  • A aquisição da Konduto, especializada em antifraude para e-commerce, que amplia a atuação da Boa Vista neste setor, foi aprovada pelo CADE.


 
A Boa Vista, empresa que aplica inteligência analítica de ponta na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral, divulgou hoje seus resultados do 1º Trimestre de 2021.
“A empresa obteve resultados positivos, mostrando mais uma vez a resiliência de nosso modelo de negócio em um período que sofreu com o recrudescimento da pandemia em sua segunda onda e, consequentemente, com as medidas de restrição ao funcionamento da economia na maioria dos Estados e municípios. Apesar deste contexto, que resultou em uma trava para a aceleração que estava se iniciando no trimestre anterior, a companhia continuou melhorando indicadores operacionais importantes na comparação com o mesmo período do ano passado quando a pandemia se iniciou apenas na segunda quinzena de março. Em particular, nossa eficiência operacional e o aumento na importância serviços analíticos merecem destaque. A evolução positiva do lucro líquido ajustado e do EBITDA orgânico ajustado é motivo de satisfação para a nossa Companhia”, diz o CEO da Boa Vista, Dirceu Gardel.

Soluções Analíticas continua crescendo na sua importância para a companhia


A receita líquida obtida com Soluções Analíticas cresceu 5,6% no 1º Tri de 2021, em comparação ao registrado no mesmo período do ano passado, atingindo R$ 89,5 milhões. Esta linha de produtos, que é a prioridade da Companhia, manteve o progresso dos últimos anos. No 1º Tri de 2021, estes serviços representaram 54,2% da receita líquida, contra 53,0% em 2020 e 42,4% em 2019. Vale considerar que a participação destas soluções teria sido ainda maior se não houvesse ocorrido a incorporação da Acordo Certo, que incrementou as receitas com Serviços ao Consumidor.
No geral, a receita líquida gerada pela linha de negócios de Serviços para Decisão, que inclui Soluções Analíticas, atingiu R$ 143,6 milhões e cresceu 2.8% na comparação entre os primeiros trimestres de 2021 e 2020. Este número já inclui os resultados da empresa Acordo Certo, adquirida em dezembro de 2020. A Acordo Certo é uma plataforma especializada em conectar indivíduos que buscam melhorar sua situação financeira com as grandes empresas fornecedoras de crédito.
A incorporação do primeiro trimestre inteiro do faturamento da Acordo Certo fez as receitas, com Serviços ao Consumidor crescerem 32,4%, consideradas de maneira proforma. Também integrante da Linha de Serviços para Decisão, as Soluções de Marketing tiveram um leve decrescimento de -3% no 1º Tri de 2021, versus o mesmo período de 2020, resultado relevante considerando a redução significativa dos investimentos dos clientes da Boa Vista em aumentar sua base de consumidores ante a contínua incerteza causada pela piora do cenário econômico. Já a última modalidade dos Serviços para Decisão, os Relatórios de Risco, teve queda de 16,6% em suas receitas contra o 1º Tri de 2020.Vale ressaltar que a própria Boa Vista tem incentivado a migração da contratação deste serviço para Soluções Analíticas, mais completas e assertivas para os clientes e com maior margem para a Companhia.
Em Serviços de Recuperação, a segunda Linha de Negócios da Boa Vista, as receitas decresceram 12,1% no 1º Tri de 2021, comparadas com as obtidas no mesmo trimestre do ano anterior. Esta queda reflete dois fatores. O primeiro é esforço para continuar a migração dos comunicados de meios físicos para digitais, produtos de menor custo e maior eficiência para os clientes, mas com maior margem para a Companhia. Em segundo lugar, a queda reflete o impacto do represamento da inadimplência durante a pandemia pela ação de bancos e Varejo em renegociar e ampliar prazos de pagamento de financiamentos e de negativação e cobrança de dívidas.
As análises da Boa Vista mostram que esta inadimplência represada deve começar a desaparecer nos próximos meses, aumentando a demanda por ações de Recuperação. De todo o modo, a queda nas receitas em Recuperação impactou a receita líquida total da Companhia, que subiu 0,6%, para R$ 165 milhões no 1º Tri deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado.
O lucro líquido ajustado cresceu 35,2% e o EBITDA orgânico ajustado (sem considerar a Acordo Certo) subiu 2,4%, ambos na comparação entre os primeiros trimestres de 2021 e 2020. A margem EBITDA orgânico ajustado foi de 49,6%, acréscimo de 2,8 pontos percentuais sobre o 1º Tri de 2020. Já a diferença entre EBITDA ajustado e o Capex total orgânico foi, no primeiro período deste ano, 37% superior ao registrado no mesmo período do ano passado.

Propostas do IPO cumpridas


Os bons resultados obtidos pela Boa Vista, em especial em Soluções Analíticas, atestam o cumprimento pela Companhia do planejado em seu IPO, em setembro de 2020, que tornou a empresa a única em seu setor de atuação com capital aberto, listada no Novo Mercado da B3, nível de maior governança corporativa da maior bolsa de valores da América Latina. “Quando fomos buscar o apoio de novos acionistas, dissemos que estávamos captando recursos para crescermos de forma orgânica e inorgânica. No campo inorgânico, além da Acordo Certo, adquirimos a Konduto, empresa digital com experiência em e-commerce, meios de pagamento e inteligência artificial, cuja transação acaba de ser autorizada pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica)”, comenta Gardel.
“Na época do IPO, dissemos que iríamos crescer também organicamente. O principal projeto orgânico era acelerar nosso crescimento em soluções analíticas com a criação de uma ‘fábrica de algoritmos’ que permitisse sofisticar, dar maior eficácia e aumentar a produtividade no lançamento de novos produtos nesta área. Este projeto foi concretizado, com a inauguração oficial, em abril, do Centro de Excelência em Analytics (CEA) da Boa Vista”, completa o CEO.
Com o CEA, a Boa Vista passa a ter um importante diferencial competitivo, incrementando seu portfólio. Com as soluções nele desenvolvidas, as empresas poderão ter acesso a um leque ainda maior de informações capazes de ajudar na resolução de problemas de negócios, tomando decisões mais assertivas. Com uma metodologia própria, baseada no conceito de “triple A” (Algorithm, Analytics, Agile), o CEA proporciona mais eficiência e celeridade nas entregas da Companhia. A equipe de cientistas e engenheiros de dados do CEA chegará a 140 profissionais ao final de 2021, praticamente dobrando o número de cientistas e engenheiros de dados que já atuam na Boa Vista.
“O CEA potencializa a nossa eficiência em cumprir o nosso objetivo de entregar aos nossos clientes a melhor inteligência analítica sobre diferentes bases de dados, como a do SCPC (negativo), o Cadastro Positivo, de cuja utilização somos pioneiros, as próprias bases dos nossos clientes e outras que nossos cientistas de dados estão explorando e desenvolvendo”, afirma o CEO da Boa Vista. “Tratando especificamente do Cadastro Positivo, ele deverá contribuir ainda mais com nossas soluções analíticas, com a incorporação das informações das empresas de telecomunicações, iniciada em abril, e com o futuro envio das informações das companhias de energia e saneamento, ainda neste ano de 2021”, acrescenta Gardel.
“E assim, confiando no acerto do nosso modelo de negócios, em nossa resiliência mesmo em meio a um ambiente de incertezas econômicas e sociais, seguiremos em 2021 com nossa estratégia de impulsionar o desenvolvimento do mercado de soluções analíticas, maximizar os resultados de nossos clientes e promover o melhor ambiente de crédito possível aos brasileiros. Manteremos o foco na nossa eficiência, bem como na captura e utilização inteligente de fontes diversificadas de informações, melhorando e criando soluções de análise, reiterando nossa posição de empresa referência em analytics.”, conclui o CEO da Boa Vista.
Veja, nas tabelas abaixo, os principais resultados da Boa Vista no 1º Trimestre: