Os pedidos de falência avançaram 5,7% em janeiro, na comparação com dezembro, segundo dados com abrangência nacional da Boa Vista. No mesmo sentido, mantida a base de comparação, os pedidos de recuperação judicial e as recuperações judiciais deferidas aumentaram 30,6% e 42,2%, respectivamente. Por outro lado, as falências decretadas apontaram queda de 15,6% na variação mensal.
Na análise acumulada em 12 meses, todas as ocorrências apresentaram crescimento. As recuperações judiciais deferidas registraram a maior variação, com aumento de 9,3%. Mantida a base de comparação, os pedidos de recuperação judicial cresceram 7,9%, enquanto os pedidos de falência e as falências decretadas tiveram alta de 8,4% e 5,8%, respectivamente.


Em janeiro os pedidos de falência registraram o quarto avanço mensal consecutivo, com aumento também na comparação interanual, o que contribuiu para manter o indicador em alta na análise acumulada em 12 meses. E após o indicador já ter encerrado 2020 com crescimento, o movimento demonstra as dificuldades que as empresas estão encontrando para melhorarem seus indicadores de solvência nesses últimos meses.
Contudo, a expectativa para o ano de 2021, por sua vez, é de retomada gradual da economia, em especial das atividades reprimidas no último ano. A imunização da população e a melhora nos fatores condicionantes da atividade, como a concessão de crédito, também serão fundamentais para manutenção dos negócios já existentes, bem como, para a abertura de novos negócios.
 
Metodologia
 
O indicador de falências e recuperações judiciais é construído com base na apuração dos dados mensais registrados na base do SCPC, oriundos dos fóruns, varas de falências e dos Diários Oficiais e da Justiça dos estados.
 
A série histórica deste indicador se inicia em 2006 e está disponível em:
http://www.boavistaservicos.com.br/economia/falencias-e-recuperacoes-judiciais/