Cresce fatia dos que utilizarão o 13º salário para pagar contas de início de ano e poupar

 

Dos mais de mil entrevistados pela Boa Vista SCPC, em sua pesquisa online sobre hábitos de consumo para o Natal e Fim de Ano, 75% dos respondentes afirmaram que receberão o 13º salário. Destes, 37% disseram que utilizarão a renda extra para quitar dívidas, o que representa uma queda de 19 pontos percentuais (p.p.) na comparação com 2016. Por outro lado, aumentou em 17p.p. o número de consumidores que utilizará o 13º salário para poupar e pagar as contas, na comparação com 2016, atingindo a proporção de 46% (cada um com iguais 23% de representatividade). A tabela abaixo contém os detalhes.

pesquisa13

Fonte: Boa Vista SCPC

Entre os consumidores que pretendem gastar menos dinheiro este ano, 44% irão quitar dívidas com o 13º salário. Para aqueles que pretendem gastar mais dinheiro em relação ao ano passado, 21% utilizarão o 13º salário para quitar dívidas e outros 32% irão investir.

Ainda segundo a pesquisa, 21% dos consumidores que pretendem poupar o 13º salário irão guardar até 30% do valor recebido, enquanto 14% conseguirão guardar entre 30% a 50% do valor. Ademais, saltou de 9% para 32% aqueles que pretendem guardar mais de 50% da renda extra. Por outro lado, 33% não conseguirão poupar nada, contra 48% registrados em 2016 e 44% em 2015. Ou seja, o consumidor parece estar mais preocupado em guardar o dinheiro, seja para reorganizar a vida financeira, seja para pagar as contas do início do ano.

Cenário econômico

Quando questionados sobre a percepção do atual do cenário econômico, 81% dos consumidores disseram que a mesma está igual ou pior em comparação ao ano passado. Na época foram registradas 84% das menções. No que se refere a vida pessoal financeira, a percepção atual também não é das mais otimistas. 56% dos consumidores afirmaram que o poder de compra e de pagamento diminuíram na comparação com 2016.

Para 32% dos consumidores, foram os gastos com a alimentação (desde as compras de supermercado até as despesas fora de casa), que mais pesaram no bolso no atual cenário de inflação e reajustes de preços neste ano. Em segundo lugar apareceu o aumento no preço dos combustíveis, passando de 7% para 17% das menções, um crescimento de 10p.p. em comparação ao último ano.

Diante da atual situação econômica, 80% dos consumidores declararam ter adotado hábitos de compras diferentes do que estavam habituados, com intuito de economizar. Como resultado da mudança de atitude frente à crise econômica e financeira, 34% dos consumidores conseguiram reduzir os gastos com o lazer. Outros 26% reduziram os gastos com alimentação.

De modo geral, 88% dos consumidores esperam que a vida financeira esteja melhor no próximo ano, se comparada ao momento atual. Quando questionados no final de 2016, sobre o que esperavam da vida financeira para 2017, 90% na época estavam mais otimistas, e esperavam uma situação melhor.

Metodologia
Um total de 1.009 consumidores, de todo o Brasil, participou da pesquisa online realizada pela Boa Vista SCPC, entre os dias 5 a 30 de outubro, com o objetivo identificar a pretensão de compra para o Natal e Fim de Ano. A leitura dos resultados deve considerar 3% de margem de erro e grau de confiança de 95%.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 0,2% em janeiro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 0,2% em janeiro na comparação mensal com dados dessazonalizados, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (fevereiro de 2017 até janeiro de 2018 frente ao mesmo período do…

Percentual de cheques devolvidos permanece em 1,92% em janeiro

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados [1] foi de 1,92% em janeiro 2018, registrando redução em relação ao ano anterior (-0,15 p.p.). Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados permaneceu estável em relação a dezembro, associado ao crescimento compensatório entre…

Recuperação de crédito cresce 0,3% em janeiro

  O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base da Boa Vista SCPC – apontou crescimento em janeiro de 0,3%, na comparação mensal com ajuste sazonal. Já na análise acumulada em 12 meses, houve queda de 1,1% (fevereiro de 2017 até janeiro de…