Empresários otimistas com vendas de fim de ano ainda são maioria apesar de queda do percentual

Apesar da crise causada pela Covid-19 ter prejudicado boa parte dos negócios, 57% dos empresários ainda acreditam que as vendas de Natal e Ano Novo vão se igualar ou superar às do ano passado. É o que constatou a Boa Vista, empresa que aplica inteligência analítica na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral, em pesquisa feita com cerca de 600 empresas de todo o Brasil. Contudo, segundo o levantamento, houve queda significativa na comparação com o resultado da mesma pesquisa realizada em 2019, quando 82% dos empresários demonstravam o mesmo otimismo.

Na divisão por setores, a Indústria mostra-se a mais otimista, com 75% de seus representantes ouvidos pela Boa Vista (vs 59% em 2019). O Comércio veio em seguida, com 50% (65% em 2019), e os otimistas do setor de Serviços são 30% (51% em 2019).

Quando o assunto é concessão de crédito para as vendas desse fim de ano, 52% das empresas declaram estar aptas para conceder, enquanto 48% ainda necessitam de apoio para a realizar vendas a prazo.

Nada de contratar mais

Entre os três setores, também é clara a baixa intenção de novas contratações para essa época de fim de ano. No setor de Serviços, só 18% devem fazer novas contratações (eram 27% em 2019), número que chega a 38% (24% em 2019) e 31% (33% em 2019) nos setores da Indústria e do Comércio, respectivamente.

A pesquisa da Boa Vista também constatou que as vendas de Natal e Ano Novo representam, em média, 9,4% do faturamento anual. Um aumento na comparação com 2019, quando os empresários indicaram que essa mesma média era de 7,9%.

On-line como estratégia

Por conta das restrições impostas pela pandemia, o comércio on-line surge como estratégia adotada pelas empresas para aumentar as vendas. Estimular as compras pelas redes sociais foi a estratégia mais apontada pelos empresários da pesquisa, com 23% das menções. Em seguida, com 18%, criar promoções, e em terceiro lugar, investir em campanhas on-line, com 16%. Em 2019, as principais estratégias utilizadas foram: parcelar o pagamento (54%), conceder descontos (35%) e fazer promoções (11%).

Seguindo no tema negócios on-line, a Boa Vista verificou em sua pesquisa que 43% das empresas possuem site próprio (vs 56% em 2019), e que 65% (vs 37% em 19) realizam negócio pela web. Destes últimos, 90% vendem pela internet (eram 92% em 2019). Os sites de fornecedores e parceiros são o principal canal usado para fazer negócios (19%), seguido de empresas de e-commerce (18%), e-mail (16%), sites próprios e delivery (14% para ambos).

Porém, a realização de negócios on-line acende desafios para as empresas, sendo o principal, de acordo com a pesquisa, a dificuldade com a comunicação para atingir o público-alvo (20%). Em seguida, a dificuldade em encontrar mão de obra qualificada (15%) e, em terceiro lugar, a falta de conhecimento sobre negócios on-line para 14%. A imagem a seguir contém os detalhes:

 


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Resultado do PIB revela tombo de 4,1% em 2020

Comentários:                                                                                                          Os dados do PIB do 4º trimestre, divulgados hoje pelo IBGE, ficaram dentro da projeção de recessão esperada, reforçando os efeitos das medidas restritivas decorrentes da pandemia do novo coronavírus. Ao longo de 2020, o PIB apresentou um tombo de 4,1%, interrompendo três anos de desempenho positivo do indicador. Na comparação com o 3º…

Márcio Gerbovic assume como Diretor Comercial na Boa Vista

A Boa Vista, empresa que aplica inteligência analítica na transformação de informações para a tomada de decisões em concessão de crédito e negócios em geral, anuncia Márcio Gerbovic como novo Diretor Comercial, com o objetivo de desenvolver os relacionamentos de alto nível e expandir a capacidade da empresa no incremento de soluções que tenham um…

PNADC: Taxa de desemprego encerra o ano em 13,9%

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE, a taxa de desemprego recuou para 13,9% no trimestre móvel encerrado em dezembro de 2020. Estando 0,7 p.p. abaixo do registrado no trimestre de julho a setembro e 2,9 p.p. maior com relação ao mesmo período do ano passado (11%). Em…