Empresas que promovem campanhas de cobrança com regularidade ampliam as chances de recuperar crédito

Conscientizar o cliente sobre a importância de quitar uma dívida com pagamento atrasado, antes do mesmo ficar negativado, tem sido uma estratégia adotada por um número cada vez maior de empresas credoras. Com campanhas de cobrança amistosas, planejadas estrategicamente para acontecer ao longo dos 12 meses do ano, e não apenas quando o cliente já está com o “nome sujo”, essas empresas ampliam as margens de recuperação de crédito e mantêm as relações comerciais com clientes que, no dia a dia, têm um bom comportamento de pagamento.

Além de conhecer o público-alvo, cujo estudo para devida identificação pode ser feito com o respaldo de uma série de ferramentas e soluções analíticas para análise e concessão de crédito, é preciso levar em conta fatores externos que impactam o poder de compra do consumidor. Um exemplo, são as medidas de incentivo ao consumo como a liberação do saque imediato do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) que, em dezembro passado, teve o limite ampliado de R$ 500 para R$ 998. Com este feito, o Governo Federal deseja injetar cerca de R$ 3 bilhões na economia.

“Há empresários que não esperam o cliente entrar na lista de inadimplentes para lembrá-los que estão com o pagamento de suas parcelas em atraso. Outros, ainda, aproveitam oportunidades como essa, que injetam bilhões de reais no mercado, para efetuar ações de pré-cobrança, já que muitos consumidores usam essa renda extra para pagar dívidas em atraso, como constatou uma pesquisa da Boa Vista sobre o uso do FGTS. Nela, 56% dos consumidores informaram que usariam o valor liberado para pagar dívidas, sendo 42% contas atrasadas e 14% contas em dia”, detalha Alexandre Xavier, diretor de Produtos da Boa Vista.

As campanhas de cobrança também devem levar em conta o perfil de público e para isso, soluções como o score (pontuação de crédito), resumo de débito e comprometimento da renda auxiliam nessa análise e, consecutivamente no filtro para a definição do modo como será feita a cobrança. “A Boa Vista detém todas essas ferramentas que ajudam os credores a filtrarem para quais carteiras de clientes farão as ações de cobrança, distinguindo a comunicação daqueles que estão inadimplentes dos que estão somente com o pagamento atrasado. Aliado a tudo isso, contam com a eficiência do nosso produto SCPC Comunica”, complementa Xavier.

O SCPC Comunica é um comunicado de cobrança com sistema totalmente automatizado de envio e gestão que se adequa à régua de cobrança dos credores. Um dos seus diferenciais é a flexibilização das variáveis que compõem as informações dispostas no comunicado, e no seu envio que pode ser feito via SMS, e-mail e carta. Assim, ele pode ser adaptado a estratégia de cobrança de cada credor, sendo mais eficiente na comunicação da dívida antes ou depois da negativação.

Com o SCPC Comunica, a Boa Vista cuida da gestão dos disparos, e, para os meios eletrônicos (e-mail e SMS) a cobrança é feita pelo sucesso na entrega. No caso das cartas, a cobrança é feita pelo total de envios. Assim, além de ser mais eficiente, o SCPC Comunica representa mais economia para o credor. “A solução é ideal para ser usada em base de clientes que não se deseja negativar, como uma ação de pré-cobrança, sem gerar atrito na relação comercial. Já para clientes negativados, serve como reforço para avançar nas ações de recuperação do crédito”, complementa o executivo.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Resultado do PIB revela queda de 1,5% no primeiro trimestre

Os dados do PIB do 1º trimestre, divulgados hoje pelo IBGE, reforçaram o cenário de fragilização da atividade econômica. No primeiro trimestre de 2020, o produto recuou 1,5% na comparação com os três últimos meses do ano passado, de acordo com dados dessazonalizados, interrompendo uma sequência de quatro trimestres de crescimentos consecutivos. Na comparação com…

Consumidores com aumentos frequentes em operações de crédito são mais propensos à inadimplência

Demanda por Crédito do Consumidor cai 24,4% em abril

A Demanda por Crédito do Consumidor recuou 24,4% em abril na comparação com março, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. No acumulado do ano o indicador caiu 11,7% contra o mesmo período do ano passado. Já no acumulado em 12 meses, o indicador passou para o campo negativo…

PNADC: Taxa de desemprego atinge 12,6% em abril

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE, a taxa de desemprego avançou para 12,6% no trimestre móvel encerrado em abril. Estando 0,4 p.p. acima do registrado no mês anterior e 0,1 p.p. maior em relação ao mesmo período do ano passado (12,5%). Em termos absolutos, a população desocupada…