Movimento do comércio cresce 0,5% em agosto e registra avanço pelo terceiro mês consecutivo

Expansão do acumulado em 12 meses no varejo, em agosto, foi de 3,1%

Dados do varejo, com abrangência nacional, apontam que em agosto o movimento do comércio avançou moderadamente 0,5% na comparação com julho – retirados os efeitos sazonais, de acordo com o indicador da Boa Vista Serviços, administradora do SCPC. Apesar do crescimento mensal moderado, o indicador completa um trimestre com avanço.

Avaliando os últimos doze meses contra os doze meses terminados em agosto do ano anterior, o indicador aumentou 3,1%. A variação acumulada, desde janeiro de 2013, foi de 1,4% quando comparado ao respectivo período em 2012.

O setor varejista vivenciou nos últimos anos um ciclo de dinamismo, resultado da relativa estabilidade da inflação no período, de políticas de redistribuição de renda e de inovações financeiras de alto impacto no crédito pessoal, como, por exemplo, o desenvolvimento do “crédito consignado”, entre outros fatores.

Contudo, neste ano, o crescimento deverá ser moderado, uma vez que em praticamente todos os segmentos observa-se desaceleração e até mesmo queda. Dentre os principais motivos desta mudança de quadro destacam-se o menor crescimento do rendimento médio da população ocupada no período, a menor efetividade das políticas de fomento ao consumo e a retomada de um ciclo de alta de juros.

Setores

O setor de “Móveis e Eletrodomésticos” expandiu 1,7% sobre o mês imediatamente anterior, considerados os ajustes sazonais à série. Pela segunda vez consecutiva, é o setor responsável pela variação positiva mensal do indicador geral. Porém, a variação acumulada dos últimos 12 meses em relação aos 12 meses antecedentes manteve-se negativa (-1,1%).

O nível da categoria de “Combustíveis e Lubrificantes” apresentou elevação de 0,3% na comparação com julho – expurgados os efeitos sazonais. O indicador no acumulado entre janeiro e agosto de 2013 exibiu acréscimo de 3,8% contra o mesmo período do ano passado.

Na direção oposta, a maior queda mensal dentre todos os setores foi registrada por “Supermercados, Alimentos e Bebidas” que teve sua série dessazonalizada reduzida em 0,4% em comparação a julho. Quando confrontados os 12 meses terminados em agosto ao período correspondente em 2012, houve avanço de 5,2%.

Por fim, o segmento de “Tecidos, Vestuários e Calçados” apresentou queda de 0,3% da sua série com ajuste sazonal em relação a julho de 2013.  O indicador apresentou variação de 2,2% no acumulado de 2013 na comparação com o mesmo período de 2012.

 

O indicador de Movimento do Comércio da Boa Vista Serviços é obtido a partir do número de consultas efetuadas pelas empresas a uma amostra representativa de CPFs. Os dados são classificados como oriundos de empresas do setor financeiro e não financeiro, e são corrigidos pelos devidos tratamentos estatísticos. As séries têm como ano base a média de 2010 = 100, e passam por ajuste sazonal para avaliação da variação mensal.

Comentários

comentários

Posts relacionados

Inadimplência do consumidor cai 2,4% em novembro

A inadimplência do consumidor caiu 2,4% em novembro na avaliação mensal com ajuste sazonal, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Já nos valores acumulados em 12 meses (dezembro de 2016 até novembro de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração 3,5%. Quando comparado o resultado contra o mesmo mês de 2016,…

Produção Industrial registra crescimento de 0,2% em outubro e 1,5% em 12 meses

Dados divulgados hoje pelo IBGE revelam que a Pesquisa Industrial Mensal (PIM) registrou crescimento de 0,2% em outubro, considerando a comparação mensal (série com ajuste sazonal). Considerando os últimos 12 meses, a recuperação ganhou mais consistência, uma vez que sua leitura foi de 0,4% para 1,5% entre os meses de setembro e outubro. Na comparação…

Cresce fatia dos que utilizarão o 13º salário para pagar contas de início de ano e poupar

  Dos mais de mil entrevistados pela Boa Vista SCPC, em sua pesquisa online sobre hábitos de consumo para o Natal e Fim de Ano, 75% dos respondentes afirmaram que receberão o 13º salário. Destes, 37% disseram que utilizarão a renda extra para quitar dívidas, o que representa uma queda de 19 pontos percentuais (p.p.)…