Número de títulos protestados acumula queda de 3,4% em 2013

Na comparação mensal houve leve aumento de 0,1% no total dos protestos

Dados da Boa Vista Serviços mostram que o número de protestos de títulos recuou 3,4% no acumulado de 2013, contra o mesmo período do ano anterior. Houve queda de 0,7% para as pessoas físicas e de 4,9% para as empresas.

Na comparação contra junho de 2012, os títulos protestados para as pessoas jurídicas recuaram 0,3%, enquanto que para as pessoas físicas aumentaram 10,2%, totalizando um acréscimo de 3,4%.

Na comparação mensal, o número de protestos teve leve alta de 0,1%, somando-se os protestos de pessoas físicas e jurídicas. Para as empresas, a expansão foi de 0,7% e para as pessoas físicas a queda foi de 0,8%.

O valor médio dos títulos protestados para o mês foi de R$ 2.354. Para as pessoas físicas o valor correspondeu a R$ 1.740 e R$ 2.726 para as pessoas jurídicas. A tabela 1 mostra os dados citados.

 

Tabela 1 – Variação   Títulos Protestados

Jan-Jun 2013/2012

Jun 2013/Jun 2012

Jun 2013/Mai 2013

Valor médio (R$)

Pessoa Física

-0,7%

10,2%

-0,8%

1.740

Pessoa Jurídica

-4,9%

-0,3%

0,7%

2.726

TOTAL

-3,4%

3,4%

0,1%

2.354

Fonte:   Boa Vista Serviços

 

Títulos protestados de empresas – Regiões

Em junho de 2013, os títulos protestados de empresas representaram aproximadamente 62% do total dos protestos no país. A região sudeste continua a contribuir com a maior parcela dos títulos protestados (48,4%), seguida das regiões Sul (24,7%), Nordeste (13,5%), Centro-Oeste (8,6%) e Norte (4,8%).

No acumulado do ano contra o mesmo período do ano anterior, a região Sul lidera com a maior diminuição dos protestos de pessoa jurídica, com queda de 7,5% contra uma média nacional de recuo de 4,9%. O Norte apresentou a menor queda (-0,4%).

Em relação a junho de 2012, o Nordeste foi a região que obteve queda mais significativa (-11,1%), enquanto a região Norte obteve o maior crescimento (5,8%).

Já na comparação mensal, os destaques foram as regiões Nordeste com a maior contração (-12,5%) e Centro-Oeste com alta (7,5%).

O maior valor médio dos títulos protestados em junho foi na região Norte (R$ 4.308), acima da média nacional (para pessoa jurídica, que foi de R$ 2.726). A tabela 2 mostra as variações nos protestos de títulos para as pessoas jurídicas entre as regiões do país para os diferentes períodos.

 

Tabela 2 –   Variações nos Protestos de Títulos PJ – Regiões

Região

Variação no   acumulado do ano

Variação sobre o   mesmo mês do ano anterior

Variação sobre o   mês anterior

Valor médio (R$)

Norte

-0,4%

5,8%

-4,4%

4.308

Nordeste

-1,6%

-11,1%

-12,5%

2.966

Sul

-7,5%

-2,2%

4,9%

2.043

Sudeste

-5,0%

3,7%

2,2%

2.862

Centro-Oeste

-4,3%

-0,2%

7,5%

2.656

Brasil

-4,9%

-0,3%

0,7%

2.726

Período

Jan-Jun 2013/2012

Jun 2013/Jun 2012

Jun 13/Mai 2013

jun/13

Fonte: Boa Vista Serviços      

 

Comentários

comentários

Posts relacionados

Pagamento de contas diversas é o que mais pesa no bolso do consumidor

São as contas diversas que estão impossibilitando de o consumidor manter o seu fluxo de caixa organizado e o “nome limpo”, segundo pesquisa online semestral realizada pela Boa Vista SCPC para identificar o Perfil do Consumidor Inadimplente. Dos quase 4 mil respondentes, de todo o Brasil, 23% afirmaram que manter em dia o pagamento de…

Inadimplência do consumidor cai 2,4% em novembro

A inadimplência do consumidor caiu 2,4% em novembro na avaliação mensal com ajuste sazonal, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC. Já nos valores acumulados em 12 meses (dezembro de 2016 até novembro de 2017 frente aos 12 meses antecedentes) houve retração 3,5%. Quando comparado o resultado contra o mesmo mês de 2016,…

Produção Industrial registra crescimento de 0,2% em outubro e 1,5% em 12 meses

Dados divulgados hoje pelo IBGE revelam que a Pesquisa Industrial Mensal (PIM) registrou crescimento de 0,2% em outubro, considerando a comparação mensal (série com ajuste sazonal). Considerando os últimos 12 meses, a recuperação ganhou mais consistência, uma vez que sua leitura foi de 0,4% para 1,5% entre os meses de setembro e outubro. Na comparação…