Informações do Cadastro Positivo já enriquecem soluções que auxiliam o empresário na tomada de decisão

Com a aprovação da nova lei do Cadastro Positivo – que torna automática a inclusão de consumidores e empresas neste banco de dados, e a sua regulamentação no início de julho – o mercado de crédito brasileiro vive um novo momento, que pode também ser considerado um marco nas relações de consumo. Com este feito, há grande expectativa sobre as novas soluções de análise de crédito e o quanto os dados positivos ajudarão a reduzir a assimetria de informação, ou seja, melhor discriminar o bom do mau pagador.

A Boa Vista já está utilizando toda a sua inteligência analítica por meio de modelos de machine learning e de inteligência artificial para extrair o máximo de valor das informações positivas de consumidores e empresas. Para se ter uma ideia, com a nova lei em vigor, estima-se que cerca de 120 milhões de consumidores passam a fazer parte do Cadastro Positivo, dos quais aproximadamente 22 milhões estão agora sendo inseridos no mercado de crédito, o que demonstra o grande potencial para novos negócios.

Segundo Alexandre Xavier, Diretor de Produtos da Boa Vista, os dados do Cadastro Positivo podem aumentar as vendas se usados de forma inteligente. “Diante do cenário atual, com maior acesso do consumidor ao crédito, o credor que souber identificar melhor os pagadores dos não pagadores, venderá mais e melhor”, justifica o executivo.

Uma das soluções com essas características é o Acerta Completo Positivo, desenvolvido pela Boa Vista e já à disposição do mercado. Com esse produto é possível checar as informações analíticas como score (nota de crédito), comprometimento financeiro, pontualidade de pagamento e renda estimada.

“Esse tipo de solução ajuda o empresário a conhecer e prever o comportamento do consumidor, tendo menos riscos na hora de tomar uma decisão de venda. E tudo isso é possível porque a Boa Vista possui uma das maiores bases de comportamento de crédito e tem capacidade analítica para transformar todos esses dados em instrumentos de decisão, de forma clara e objetiva”, completa Xavier.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Pedidos de seguro-desemprego recuam 32% em junho na comparação mensal

O Ministério da Economia divulgou ontem os dados referentes ao movimento dos pedidos de seguro-desemprego. Em junho, o número de requerimentos ao seguro–desemprego foi 32% menor em relação ao mês anterior, contabilizando cerca de 653.160 pedidos na modalidade trabalhador formal. Já na comparação com junho do ano passado houve alta de 28,4%, registrando o quarto…

IPCA avança 0,26% em junho, após dois meses de deflação

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)[1] avançou 0,26% no mês de junho. No acumulado em 12 meses houve evolução para 2,13%, 0,25 p.p. acima da variação observada em maio.  Com esse resultado, o indicador acumulou baixa de 0,11% no ano. O grupo Alimentação e bebidas (0,38%) foi o que registrou maior impacto…

Volume de serviços recua 0,9% em maio

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE divulgada hoje, o volume do setor de serviços recuo 0,9% na comparação com o mês anterior (dados dessazonalizados). Em relação ao mesmo mês do ano anterior, o indicador contraiu 19,4%. Com isto, o setor acumula baixa de 2,7% na análise em 12 meses. Nos resultados mensais…