[PESQUISA] Coronavírus: 52% dos consumidores não vão conseguir pagar contas ou pagarão apenas parte delas

52% dos consumidores brasileiros afirmam que não vão conseguir pagar as contas ou só vão poder arcar com parte delas nesse momento de pandemia. A constatação é de uma pesquisa realizada pela Boa Vista com cerca de 600 consumidores, que também descobriu que 80% dos consumidores já fizeram uma revisão do orçamento doméstico.

Perguntados sobre por quanto tempo acreditam conseguir manter as contas em dia, 56% responderam que no máximo por dois meses. Outros 12% afirmam ter fôlego entre três e quatro meses e 12%, para mais de quatro meses. 20% não sabem dizer até quando conseguem pagar. A imagem abaixo completa as informações:

A Boa Vista também ouviu os consumidores para identificar que tipo de compromissos financeiros possuem atualmente. Em média, 49% têm alguma compra parcelada (como no cartão de crédito, cartão, boleto ou carnê de loja e cheque pré-datado) e 27% financiamentos ou empréstimos (como financiamento de veículos/imóvel ou empréstimo pessoal/consignado).

Busca por crédito

Incertos sobre o futuro da economia e de suas finanças, 59% dos consumidores entrevistados têm perspectiva de que talvez precisarão contratar crédito para pagar as contas durante ou após a pandemia. Outros 41% dizem que não irão precisar contratar crédito neste momento.

E quando feita a mesma pergunta, se iriam precisar contratar crédito, dos 52% dos respondentes que declararam que irão conseguir pagar apenas parte ou nenhuma conta nos próximos meses, 83% deles responderam que precisarão tomar crédito.

E mesmo entre os 48% que dizem que não vão precisar de crédito porque acreditam conseguir manter as contas em dia com a renda que possuem, 34% alegam que, em algum momento, virão a precisar de crédito extra, se a atual situação continuar, com comércio fechado, demissões e diminuição de renda.

A principal modalidade citada pelos que afirmam ter de tomar crédito, seja durante seja depois da pandemia, foi o empréstimo pessoal em bancos (21%), seguida do cartão de crédito (14%) e do empréstimo consignado (12%). O gráfico a seguir ilustra todas as modalidades citadas:

A pesquisa também quis saber dos entrevistados sobre a importância de se acompanhar o score. 71% afirmam ser muito importante conhecer a sua nota de crédito durante o período de pandemia.

O economista da Boa Vista, Flávio Calife, afirma que o score passa a ter ainda mais importância no atual cenário, porque ajuda os consumidores e credores a serem mais precisos nas suas tomadas de decisões quando o assunto envolve pedir e conceder crédito.

No aplicativo Boa Vista Consumidor Positivo (disponível no Google Play e na Apple Store), é possível consultar gratuitamente o score, assim a consulta de CPF, a existência de dívidas em seu nome, informações do Cadastro Positivo e de Educação Financeira.

Essas informações da pesquisa da Boa Vista estão resumidas em infográfico. Para ter acesso clique aqui.

Metodologia

A pesquisa sobre hábitos dos consumidores em meio à pandemia do novo coronavírus foi feita pela Boa Vista entre 7 e 13 de abril de 2020, com cerca de 600 consumidores, em todo o Brasil. Para a leitura dos resultados considerar cerca de 4 p.p. (pontos percentuais) de margem de erro e 95% de grau de confiança.


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Resultado do PIB revela queda de 1,5% no primeiro trimestre

Os dados do PIB do 1º trimestre, divulgados hoje pelo IBGE, reforçaram o cenário de fragilização da atividade econômica. No primeiro trimestre de 2020, o produto recuou 1,5% na comparação com os três últimos meses do ano passado, de acordo com dados dessazonalizados, interrompendo uma sequência de quatro trimestres de crescimentos consecutivos. Na comparação com…

Consumidores com aumentos frequentes em operações de crédito são mais propensos à inadimplência

Demanda por Crédito do Consumidor cai 24,4% em abril

A Demanda por Crédito do Consumidor recuou 24,4% em abril na comparação com março, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. No acumulado do ano o indicador caiu 11,7% contra o mesmo período do ano passado. Já no acumulado em 12 meses, o indicador passou para o campo negativo…

PNADC: Taxa de desemprego atinge 12,6% em abril

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE, a taxa de desemprego avançou para 12,6% no trimestre móvel encerrado em abril. Estando 0,4 p.p. acima do registrado no mês anterior e 0,1 p.p. maior em relação ao mesmo período do ano passado (12,5%). Em termos absolutos, a população desocupada…