[PESQUISA] Pagar contas será o objetivo de 56% dos consumidores que vão sacar o FGTS

68% dos consumidores entrevistados pela Boa Vista, em uma pesquisa realizada entre os meses de agosto e setembro, em todo o país, têm direito ao saque imediato do FGTS no valor de R$ 500. Deste percentual, 67% pretendem realizar o saque tão logo ele seja liberado. Considerando apenas os consumidores desempregados, o percentual aumenta para 81%. A pesquisa também identificou que 56% dos que farão o saque do FGTS utilizarão o dinheiro para pagar as contas, sendo que 42% irão pagar as que estão atrasadas e 14% as que estão em dia.

O levantamento da Boa Vista identificou ainda que guardar o valor do FGTS será a opção de 14% dos consumidores entrevistados que farão o saque. Outros 12% afirmam que pretendem usar o valor para fazer compras no varejo. 6% para fazer viagens. Por fim, outros 12% dos consumidores usarão o valor com outros fins.

Não irão sacar

Ainda dentro dos 68% dos consumidores que possuem o direito do saque, 33% afirmam não pretender retirar o valor do FGTS. Quando questionados sobre o motivo, 64% por não enxergarem necessidade em fazer o saque, ao passo que 28% não consideram o valor suficiente. 8% apontam outros motivos não especificados.

Tipos de contas

Sobre os tipos de conta que pretendem pagar com o valor do FGTS, 37% disseram que pagarão débitos do cartão de crédito. Dívidas pagas com boleto serão a finalidade do FGTS de 27% dos consumidores que farão o saque. 11% usarão o valor para o pagamento de dívidas de crediário, enquanto 10% pagarão empréstimos. 7% usarão o dinheiro para pagar despesas normalmente pagas com cheques. Contas de telefone (6%) e financiamento de automóvel (2%) foram os outros tipos de dívidas apontadas.

Comprometimento da renda

A pesquisa também questionou os consumidores que pretendem pagar contas com o saque do FGTS sobre o quanto essas dívidas representam no orçamento familiar. Para 78%, as contas representam mais de 25% do orçamento doméstico. Para 22%, as dívidas apontadas como destino do FGTS representam menos de 25% da renda familiar mensal.

Volume de dívidas

Para 46% dos consumidores que farão o saque, o valor do FGTS possibilitará o pagamento de menos da metade das dívidas. 14% afirmam conseguirão pagar todos os débitos com o valor do saque. Já para 9% mais da metade das contas poderão ser pagas com o valor do saque. Os 31% restantes afirmam que utilizarão o valor para outros fins.

Controle das finanças

Para 52% dos consumidores que pretendem fazer o saque imediato do FGTS, a quantia possibilitará retomar totalmente o controle das finanças pessoais. Para 24%, o saque permitirá retomar o controle do orçamento apenas em parte. Para os outros 24%, esse valor não possibilitará a retomada das finanças.

Os dados desta pesquisa também estão ilustrados em um infográfico. Para visualizar clique aqui.

Metodologia

A pesquisa sobre o uso do FGTS foi feita pela Boa Vista entre os meses de agosto e setembro, de forma quantitativa, com cerca de 300 respondentes. Os resultados consideram 5% de margem de erro.

 

 


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Resultado do PIB revela queda de 1,5% no primeiro trimestre

Os dados do PIB do 1º trimestre, divulgados hoje pelo IBGE, reforçaram o cenário de fragilização da atividade econômica. No primeiro trimestre de 2020, o produto recuou 1,5% na comparação com os três últimos meses do ano passado, de acordo com dados dessazonalizados, interrompendo uma sequência de quatro trimestres de crescimentos consecutivos. Na comparação com…

Consumidores com aumentos frequentes em operações de crédito são mais propensos à inadimplência

Demanda por Crédito do Consumidor cai 24,4% em abril

A Demanda por Crédito do Consumidor recuou 24,4% em abril na comparação com março, já descontadas as influências sazonais, de acordo com dados nacionais da Boa Vista. No acumulado do ano o indicador caiu 11,7% contra o mesmo período do ano passado. Já no acumulado em 12 meses, o indicador passou para o campo negativo…

PNADC: Taxa de desemprego atinge 12,6% em abril

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC) do IBGE, a taxa de desemprego avançou para 12,6% no trimestre móvel encerrado em abril. Estando 0,4 p.p. acima do registrado no mês anterior e 0,1 p.p. maior em relação ao mesmo período do ano passado (12,5%). Em termos absolutos, a população desocupada…