[PESQUISA] Para 42% das empresas, vendas on-line representam apenas 10% do faturamento total

Com o isolamento social causado pelo coronavírus, a tendência é de aumento das compras no comércio eletrônico nos próximos meses. As empresas que possuem baixa representatividade das vendas on-line já estão tendo de procurar alternativas para se adequarem a esta realidade e à mudança de comportamento do consumidor.

Em pesquisa com 350 empresas de todo o Brasil realizada entre janeiro e fevereiro sobre a representatividade das vendas on-line, a Boa Vista constatou que 39% das empresas utilizam a internet para negócios e apenas 38% possuem site próprio.

Para 42% das empresas brasileiras o comércio on-line ainda representa até 10% do faturamento total. 22% das empresas afirmam que faturam de 10% a 30% do faturamento total com vendas na web, enquanto 36% têm de 30% a 100% do seu faturamento a partir do comércio online.

A Boa Vista apoia as operações de e-commerce de seus clientes e possui diversas soluções para a transição do off para o online. O onboarding digital, por exemplo, é uma validação cadastral que gera segurança para a empresa e uma boa experiência para o cliente no momento da compra, pois ele não precisa preencher grandes cadastros.

Além disso, a Boa Vista possui uma plataforma de segmentação de público que permite identificar pessoas mais propensas a utilização de meios digitais, e/ou diferenciar ações de relacionamento. A empresa também auxilia as empresas gerando relatórios com informações completas, inclusive às de pagamento contidas no Cadastro Positivo.

O gráfico abaixo ilustra os números.

Das empresas entrevistadas, 39% afirmam que realizam negócios on-line e 38% possuem site próprio. Dentre os que afirmam realizar negócios, 47% fazem vendas, 12% compras e 41% vendas e compras.

Ainda dentro desta parcela das empresas, 39% realizam negócios por meio de veículos próprios (e-mail + site próprio), e 61% utilizam sites de terceiros. O gráfico a seguir ilustra os números.

Dificuldades para fazer negócios on-line

A Boa Vista questionou as empresas sobre as principais dificuldades enfrentadas para fazer negócios on-line, e 18% apontam a falta de conhecimento sobre o comércio digital como o maior obstáculo. Outras 16% sentem dificuldades de comunicação para atingir seu público-alvo, além da escassez de mão de obra qualificada (15%).

Metodologia

A pesquisa sobre a representatividade das vendas on-line nas empresas foi feita pela Boa Vista de forma quantitativa entre os meses de janeiro e fevereiro de 2020, com cerca de 350 empresas, representantes dos principais setores (comércio, indústria e serviços) e portes (micro, pequenas, médias e grandes empresas). Para a leitura dos resultados considerar cerca de 3% de margem de erro e 80% de grau de confiança.

 

 


Buscar por período:

TAGS

Posts relacionados

Reabertura com crédito

A flexibilização do comércio em diferentes regiões do Brasil traz incertezas na decisão de concessão de crédito. Diante deste cenário, a Boa Vista identificou um movimento de aceleração da adoção ao Cadastro Positivo pelas pequenas, médias e grandes empresas. Desde o início da pandemia, já somam mais de um milhão de consultas às soluções da…

IPCA avança 0,36% em julho, sendo o maior resultado para um mês de julho desde 2016

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) avançou 0,36% no mês de julho. No acumulado em 12 meses houve evolução para 2,31%, 0,18 p.p. acima da variação observada em junho.  Com esse resultado, o indicador acumulou alta de 0,46% no ano. O grupo Transportes (0,78%) foi o que registrou maior impacto positivo sobre o…

Pedidos de falência recuam 12,6% em julho

Os pedidos de falência caíram 12,6% em julho, na comparação com junho, segundo dados com abrangência nacional da Boa Vista. Mantida a base de comparação, os pedidos de recuperação judicial e as recuperações judiciais deferidas diminuíram 37,6% e 37,9%, respectivamente. Por outro lado, as falências decretadas registraram alta de 16,8% na variação mensal. Na análise…