Inflação de julho desacelera em 12 meses e volta a registrar 6,50%

Por Yan Cattani, economista da Área de Indicadores e Estudos Econômicos da Boa Vista SCPC       

O resultado da inflação oficial (IPCA) referente a julho registrou alta de 0,01% no período, abaixo da expectativa de mercado, de 0,10%. No resultado acumulado em 12 meses, o número baixou de 6,52% em junho para 6,50% nesta última aferição, retornando para o limite superior da meta (6,50%).

Analisando as aberturas, o grupo que mais apresentou impacto foi Habitação, responsável em 0,17 p.p. no valor total do mês, variando 1,20%. A razão deste aumento foi o reajuste do subitem energia elétrica, que sofreu reajuste de 4,52% no período. Contribuiu para a menor elevação do índice agregado a queda no setor de Transportes, que em virtude da Copa do mundo obteve menor demanda no mês, diminuindo a pressão de passagens aéreas no mês, variando -0,98%, com um impacto de -0,18 p.p. no valor geral do índice.

Considerando outras medidas alternativas de análise da inflação, o índice de dispersão (que mede o percentual dos grupos que subiram frente ao total dos produtos da cesta de preços) desacelerou, passando de 61,39% registrado em junho para 58,98% em julho. Já a aferição obtida pela média móvel de três meses dos núcleos caiu consideravelmente, 0,37 p.p. no mês, atingindo 0,25%.

O resultado do mês mostrou-se mais favorável do que os especialistas de mercado esperavam inicialmente, isto é, a Copa surtiu menor efeito nos índices de inflação. Para o final do ano, ainda deveremos ficar atentos com alguns importantes reajustes, como energia (elétrica, para algumas regiões metropolitanas que ainda não repassaram os novos preços aos consumidores; e gasolina, que ainda não foi decidida a data). Ademais, alguns dissídios para determinadas categorias de trabalhadores deverão sofrer reajuste no período, potencialmente intensificados pelo advento das Eleições. Com este cenário em mente e diante da atual conjuntura econômica, ainda assim espera-se que a inflação em 2014 continue próxima de seu limite superior, ou seja, encerre o ano em 6,5%. A ver.

ipca julho14

Posts relacionados

Boa Vista SCPC: Demanda por Crédito do Consumidor sobe 1,4% em janeiro

Contudo, na avaliação dos valores acumulados em 12 meses houve queda de 9,2% A Demanda por Crédito do Consumidor, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), aumentou 1,4% em janeiro, na avaliação dessazonalizada contra dezembro. Porém, na avaliação dos valores acumulados em 12 meses (fevereiro de 2016…

Boa Vista SCPC: recuperação de crédito sobe 3,0% em janeiro

O indicador de recuperação de crédito – obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes da base do crédito– apontou elevação de 3,0% na análise mensal contra dezembro, descontados os efeitos sazonais. Já na variação acumulada em 12 meses apresentou alta de 2,7%, enquanto na análise interanual (mesmo mês de 2016) houve…

81% dos consumidores esperam que em 2017 a relação entre recebimento e gastos melhore, segundo Boa Vista SCPC

A maioria dos entrevistados (81%) na Pesquisa Perfil do Inadimplente, da Boa Vista SCPC, espera que em 2017 a relação entre recebimentos e gastos esteja melhor do que a existente no 4º trimestre de 2016, período no qual o levantamento foi elaborado contendo a participação de consumidores de todo o país. Em dezembro de 2015,…