Inflação de julho desacelera em 12 meses e volta a registrar 6,50%

Por Yan Cattani, economista da Área de Indicadores e Estudos Econômicos da Boa Vista SCPC       

O resultado da inflação oficial (IPCA) referente a julho registrou alta de 0,01% no período, abaixo da expectativa de mercado, de 0,10%. No resultado acumulado em 12 meses, o número baixou de 6,52% em junho para 6,50% nesta última aferição, retornando para o limite superior da meta (6,50%).

Analisando as aberturas, o grupo que mais apresentou impacto foi Habitação, responsável em 0,17 p.p. no valor total do mês, variando 1,20%. A razão deste aumento foi o reajuste do subitem energia elétrica, que sofreu reajuste de 4,52% no período. Contribuiu para a menor elevação do índice agregado a queda no setor de Transportes, que em virtude da Copa do mundo obteve menor demanda no mês, diminuindo a pressão de passagens aéreas no mês, variando -0,98%, com um impacto de -0,18 p.p. no valor geral do índice.

Considerando outras medidas alternativas de análise da inflação, o índice de dispersão (que mede o percentual dos grupos que subiram frente ao total dos produtos da cesta de preços) desacelerou, passando de 61,39% registrado em junho para 58,98% em julho. Já a aferição obtida pela média móvel de três meses dos núcleos caiu consideravelmente, 0,37 p.p. no mês, atingindo 0,25%.

O resultado do mês mostrou-se mais favorável do que os especialistas de mercado esperavam inicialmente, isto é, a Copa surtiu menor efeito nos índices de inflação. Para o final do ano, ainda deveremos ficar atentos com alguns importantes reajustes, como energia (elétrica, para algumas regiões metropolitanas que ainda não repassaram os novos preços aos consumidores; e gasolina, que ainda não foi decidida a data). Ademais, alguns dissídios para determinadas categorias de trabalhadores deverão sofrer reajuste no período, potencialmente intensificados pelo advento das Eleições. Com este cenário em mente e diante da atual conjuntura econômica, ainda assim espera-se que a inflação em 2014 continue próxima de seu limite superior, ou seja, encerre o ano em 6,5%. A ver.

ipca julho14

Posts relacionados

Dívida com cartão de crédito e boleto levam paulistano a mutirão de renegociação de dívidas

A maioria (60%) dos consumidores que compareceu ao mutirão “Acertando suas Contas”, da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), na cidade de São Paulo, com a intenção de negociar suas dúvidas, buscou a renegociação do débito causado pelo cartão de crédito. A constatação é de levantamento realizado no próprio local pela Boa…

MUTIRÃO ACERTANDO SUAS CONTAS

AVISO DE PAUTA A Boa Vista SCPC inicia na próxima sexta-feira, dia 25 de novembro, mais uma edição do seu já tradicional mutirão de renegociações de dívidas aqui na capital paulista. Até 3 de dezembro, ininterruptamente, o mutirão “Acertando suas Contas” permitirá que consumidores que estão com contas em atraso encontrem em um ambiente mais…

Percentual de cheques devolvidos sobre movimentados atinge 2,30% no acumulado do ano, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 2,30% no acumulado de janeiro a outubro, registrando o pior resultado da série histórica, iniciada em 2006. No acumulado do ano, os cheques devolvidos recuaram 7,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. Tanto os…