Inflação de julho desacelera em 12 meses e volta a registrar 6,50%

Por Yan Cattani, economista da Área de Indicadores e Estudos Econômicos da Boa Vista SCPC       

O resultado da inflação oficial (IPCA) referente a julho registrou alta de 0,01% no período, abaixo da expectativa de mercado, de 0,10%. No resultado acumulado em 12 meses, o número baixou de 6,52% em junho para 6,50% nesta última aferição, retornando para o limite superior da meta (6,50%).

Analisando as aberturas, o grupo que mais apresentou impacto foi Habitação, responsável em 0,17 p.p. no valor total do mês, variando 1,20%. A razão deste aumento foi o reajuste do subitem energia elétrica, que sofreu reajuste de 4,52% no período. Contribuiu para a menor elevação do índice agregado a queda no setor de Transportes, que em virtude da Copa do mundo obteve menor demanda no mês, diminuindo a pressão de passagens aéreas no mês, variando -0,98%, com um impacto de -0,18 p.p. no valor geral do índice.

Considerando outras medidas alternativas de análise da inflação, o índice de dispersão (que mede o percentual dos grupos que subiram frente ao total dos produtos da cesta de preços) desacelerou, passando de 61,39% registrado em junho para 58,98% em julho. Já a aferição obtida pela média móvel de três meses dos núcleos caiu consideravelmente, 0,37 p.p. no mês, atingindo 0,25%.

O resultado do mês mostrou-se mais favorável do que os especialistas de mercado esperavam inicialmente, isto é, a Copa surtiu menor efeito nos índices de inflação. Para o final do ano, ainda deveremos ficar atentos com alguns importantes reajustes, como energia (elétrica, para algumas regiões metropolitanas que ainda não repassaram os novos preços aos consumidores; e gasolina, que ainda não foi decidida a data). Ademais, alguns dissídios para determinadas categorias de trabalhadores deverão sofrer reajuste no período, potencialmente intensificados pelo advento das Eleições. Com este cenário em mente e diante da atual conjuntura econômica, ainda assim espera-se que a inflação em 2014 continue próxima de seu limite superior, ou seja, encerre o ano em 6,5%. A ver.

ipca julho14

Posts relacionados

Demanda por Crédito do Consumidor cai 0,7% no 1º semestre, segundo Boa Vista SCPC

A Demanda por Crédito do Consumidor caiu 0,7% no 1º semestre de 2017, em comparação ao 1º semestre de 2016, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação interanual, junho apresentou estabilidade nos dados, enquanto nos valores acumulados em 12 meses (julho de 2016 até junho…

Movimento do Comércio cai 3,2% no 1º semestre, diz Boa Vista SCPC

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, caiu 3,2% no acumulado no ano (1º semestre de 2017 contra o mesmo período do ano passado), de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Na avaliação acumulada em 12…

47% dos consumidores inadimplentes estão muito endividados, revela pesquisa da Boa Vista SCPC

O nível de endividamento elevado (muito endividado) atinge 47% dos consumidores inadimplentes, ou seja, que estão com o “nome sujo”, de acordo com a pesquisa nacional Perfil do Consumidor Inadimplente, realizada pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), com cerca de 1.500 respondentes. Em seguida, 26% se dizem mais ou menos endividados,…