IPCA sobe para 8,89% em junho

De acordo com o IBGE, a apuração do resultado da inflação oficial (IPCA) subiu para 8,89% em junho, no acumulado em 12 meses. O acumulado do primeiro semestre do ano já se aproxima do teto da meta ao registrar 6,17%. E para o mês, a inflação acelerou 0,79% em relação ao mês anterior.

A categoria que obteve a maior alta no mês foi a de Despesas Pessoais, com variação de 1,63%. A elevação na categoria foi motivada pelo aumento dos preços de Jogos de Azar (30,8%). Saúde e Cuidados Pessoais foi a segunda categoria com maior alta em maio, variando 0,91% devido ao aumento do subitem Cuidados Pessoais (1,46%), que por sua vez sofreu o impacto de Produtos para Cabelo (2,58%).

Se considerarmos o núcleo acumulado de bens e serviços administrados observamos elevação de 15,07% nos valores acumulados em 12 meses. Já para o núcleo de recursos livres, a avaliação do resultado acumulado em 12 meses ainda mantém-se consideravelmente abaixo, 7,16%, contudo acima do teto da meta inflacionária (6,5%).

A inflação acumulada em 12 meses continua longe da meta e assim deverá permanecer ao longo de todo o ano. Somado outros fatores econômicos desfavoráveis, entre eles o desaquecimento do mercado de trabalho, aumento de tributação e elevação dos juros, vemos que o orçamento das famílias fica cada vez mais pressionado, fator que por sua vez deverá inibir o consumo e consequentemente contribuir negativamente para o resultado do PIB.  Neste cenário, por ora nossas expectativas para inflação mantém-se em 9,0% para 2015.

ipca

Posts relacionados

Movimento do Comércio sobe 1,5% em setembro

O Indicador Movimento do Comércio, que acompanha o desempenho das vendas no varejo em todo o Brasil, subiu 1,5% em setembro quando comparado a agosto na análise com ajuste sazonal, de acordo com os dados apurados pela Boa Vista SCPC. Na avaliação acumulada em 12 meses (outubro de 2016 até setembro de 2017 frente ao…

IBC-BR recua 0,38% em agosto e 1,0% no acumulado 12 meses

18 de outubro 2017 – Segundo o Banco Central, o indicador antecedente da atividade econômica (IBC-BR[1]) recuou 0,38% na comparação mensal contra o mês de julho (dados dessazonalizados). Considerando a variação acumulada em 12 meses, o ritmo de queda segue diminuindo: a leitura de agosto apresentou um recuo de 1,0% (após registrar queda de 1,4%…

Volume de serviços recua 1,0% em agosto e 4,5% no acumulado 12 meses

Segundo a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, o volume de serviços apresentou queda de 1,0% em agosto contra o mês anterior (dados dessazonalizados). A categoria de serviços prestados às famílias foi a única a apresentar queda (-4,8%), bastante atípica para o mês considerando o histórico da série. Os demais grupos apresentaram crescimento: Serviços…