BC projeta taxa SELIC próxima a 8%

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

Ao decidir a elevação da taxa básica de juros em 0,25%, o Banco Central deu um recado para o mercado de que não há – como nem poderia haver – qualquer obstáculo político à sua atuação. Entretanto, o BC usou a tática do gradualismo ao evitar um aumento dos juros em 0,50%, como seria mais plausível pelo atual, e sério, rompimento do teto da meta de inflação e, sobretudo, pelo anunciado afrouxamento da meta fiscal neste e no próximo ano, como ficou claro na nova Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), projeto enviado ao Congresso esta semana. Com a inflação acima do teto, o anúncio de forte redução do superávit primário planejado requereria de um BC independente a aplicação de um “puxão de orelhas” na política fiscal do governo.

O alerta preventivo do BC ao governo não aconteceu, como também deu margem para o comunicado do COPOM ressaltar outro aspecto da questão, o receio deflacionário de um cenário externo com muitos preços de commodities em baixa. O BC supõe que a queda de preços agrícolas e minerais no exterior venha a favorecer o controle natural do índice de inflação nos próximos meses. É uma aposta arriscada. O BC deve anunciar novo aumento de 0,25% na próxima reunião. Se o cenário deflacionário externo não se confirmar, o BC persistirá com altas graduais, pelo menos mais duas, até a taxa SELIC chegar a 8%.

Ed.167

Comentários

comentários

Posts relacionados

Fazer parte do Cadastro Positivo passa a ser fundamental para o consumidor, afirma Boa Vista SCPC

Se por um lado a aprovação da Medida Provisória que tornará automática a adesão dos consumidores brasileiros ao banco de dados de bons pagadores, em virtude da alteração na Lei 12.414/2011 está, por tempo indeterminado, pendente em Brasília, por outro, passa a ser cada vez mais contundente a responsabilidade de o consumidor conhecer e entender…

Percentual de cheques devolvidos atinge 2,11% em maio, segundo Boa Vista SCPC

O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados[1] atingiu 2,11% em maio, registrando uma diminuição em relação ao mesmo mês do ano anterior, quando alcançou 2,33%. Na comparação mensal, o percentual de cheques devolvidos sobre movimentados obteve leve aumento (em abril o nível foi de…

Movimento do Comércio sobe 2,7% em maio, diz Boa Vista SCPC

Informações do varejo apuradas pela Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) apontam que o Movimento do Comércio subiu 2,7% em maio, considerando os dados mensais com ajuste sazonal. Na avaliação acumulada em 12 meses (junho de 2016 até maio de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior) houve queda de 3,0%…