BR-163 será duplicada e terá pedágio aceitável, vitória tardia para MT

Por Paulo Rabello de Castro, da RC Consultores

A rodovia BR-163, principal eixo de ligação das riquezas do Centro-Oeste, via MT, com o Centro-Sul do País, foi concedida em leilão ganho ontem pela Odebrecht Transport, braço do grupo baiano que também levou, dias atrás, a concessão do aeroporto do Galeão, noutro certame considerado bem sucedido pelo preço que alcançou. Desta feita, o grupo vencedor ofereceu o maior desconto sobre o teto do pedágio, por eixo, por cada 100 km rodados, de R$5,50, fixado no edital. Com um pedágio de R$2,64 por eixo, o transporte das cargas agrícolas no sentido sul e de cargas industriais no sentido norte da rodovia 163 não será excessivamente onerado. Vitória tardia do agronegócio, do povo e governo do Mato Grosso, já que a duplicação desta via arterial do País já deveria estar pronta e não apenas por começar. Melhor assim, com atraso – mas começando – do que eternamente esperando.

A BR-163 promete ser um dos melhores investimentos do grupo Odebrecht. Se houver algum progresso no País, este será no Centro-Oeste em primeiro lugar, região (MT, GO, TO, RO) que tem apresentado expansão do PIB na faixa de 6 a 7% ao ano. A projeção usada pelo governo no modelo de concessão foi de apenas 2,5% do crescimento Brasil, menos de metade do que cresce a região da rodovia. Os especialistas saudaram os termos do leilão como positivos, opinião que compartilhamos. O governo demorou muito a aprender. Autoridades do governo falaram em “aprendizado”. Pena que os brasileiros paguem tão caro para pessoas irem fazer curso de governo. Em geral, quando se graduam, o governo está por findar. Isso onera o País e trava o progresso, que poderia ser muito maior e mais leve. Ponto positivo neste leilão foi o trabalho menos conflituoso entre os atores interferentes, como TCU, Ibama, DNIT e congêneres. Outro dado positivo é a desnecessidade de atuação do poder público em obras ao longo da BR-163 licitada. Tudo é por conta do concessionário. Ontem teria sido um dia de notícias perfeitas, não fosse por mais uma elevação da taxa Selic para 10%. Somos campeões nisso também.

Ed.322

Comentários

comentários